Minas Gerais já registra mais de cem casos da variante Delta, distribuídos, principalmente, nas regiões Centro, Sudeste, Leste do Sul e Noroeste, segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (26) pelo secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti.

“Dentro das 200 amostras semanais avaliadas, por meio de estudos genômicos, ela já aparece na maior parte delas, ou seja, é a variante predominante no Estado”, afirma o secretário.

No Norte de Minas, das 220 amostras genotipadas, seis confirmaram presença da Delta. São duas em Montes Claros (uma já com a confirmação final), duas em Claro dos Poções, uma em Mirabela e outra em Porteirinha.

O avanço da cepa indiana torna a ampliação da vacinação ainda mais determinante para proteger a população, principalmente a segunda dose.

Além disso, destaca o secretário, é preciso que os mineiros continuem a aplicar as medidas sanitárias, como uso de máscara, do álcool em gel e do distanciamento social.
 
TERCEIRA DOSE
Também em função da Delta, o Estado confirmou que Minas vai começar, ainda em setembro, a aplicação da dose de reforço da vacina contra a Covid-19. O esquema vacinal será feito com um imunizante diferente do que foi administrado anteriormente e, neste primeiro momento, a terceira dose será destinada para a população idosa e pessoas com baixa imunidade.

“Em Minas, daremos início, no próximo mês, à aplicação das doses de reforço nos idosos, acima de 80 anos, e pessoas imunossuprimidas. E, depois, vamos avançando para as idades e grupos vacinados há mais tempo”, disse Baccheretti.
 
ESTRATÉGIA
O secretário ressaltou que serão utilizadas três plataformas diferentes para a terceira dose, sendo uma da Coronavac, uma da Pfizer e uma da AstraZeneca e Janssen. “Ou seja, quem completou o esquema vacinal com a CoronaVac, receberá a 3ª dose da Pfizer, Astrazeneca ou Jansen”, explicou.

O cenário em território mineiro mostra que, pela primeira vez, nas últimas semanas, foram registrados menos de cem óbitos às quintas-feiras. O dado demonstra uma queda nos casos de internações em decorrência da doença e, consequentemente, no número de mortes. A tendência de queda permanece mesmo com a circulação da variante Delta em todas as regiões.
 
VACINAÇÃO
Em Montes Claros, a aplicação da segunda dose da AstraZeneca, que chegou a ser suspensa no início da semana, voltou a acontecer após a chegada de mais imunizantes.

E a partir desta sexta-feira (27), a vacinação chega aos jovens de 21 anos ou mais, sem comorbidades.

Com o avanço da imunização em Minas, o secretário Fábio Bacheretti anunciou o início da vacinação em adolescentes. Segundo ele, isso deve acontecer ainda em setembro.

“Com a chegada das novas doses e o quantitativo previsto por parte do Ministério da Saúde, temos uma tendência de grande aceleração nos próximos dias. Ainda em setembro, temos a expectativa de concluirmos a imunização, com a primeira dose, das pessoas acima de 18 anos e iniciarmos a vacinação dos adolescentes, com e sem comorbidades”.

Este último público soma mais de 1,7 milhão pessoas, que receberão as doses da Pfizer, imunizante indicado, até o momento, para aplicação na faixa etária entre 12 e 17 anos.

*Com Agência Minas