O Norte de Minas já registra 11 casos confirmados da variante Delta. O número cresceu 83% em uma semana e deixa toda a região em alerta. Mais do que nunca, os cuidados sanitários devem ser mantidos para evitar a contaminação pela cepa indiana, considerada mais transmissível.

O crescimento no semiárido mineiro foi maior que o estadual, que passou de 102 para 174 – variação de 70% – também em uma semana.

Segundo balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), até a última terça-feira foram registrados cinco casos em Montes Claros (sétima cidade mineira em número de casos); três em Claro dos Poções – onde foi notificada uma morte –; um em Mirabela; um em Olhos D’Água; um em Porteirinha e um em São Francisco.

Espalhadas em 59 cidades, as ocorrências da mutação já causaram cinco mortes no Estado. Os óbitos foram registrados em Rio Novo, na Zona da Mata; Uberaba, no Triângulo; Santa Luzia, na Grande BH; Arinos, no Noroeste; e Claro dos Poções, no Norte.
 
DELTA
Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), órgão de saúde dos Estados Unidos responsável pelo combate às pandemias, a Delta (B.1.617) é tão transmissível quanto a catapora.

Isso significa que a nova versão se espalha mais facilmente que o ebola, que as outras variantes do coronavírus, a gripe comum e a varíola.
 
VACINAÇÃO
Além de manter os cuidados, como distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos, é fundamental ser vacinado contra a Covid-19. O avanço na aplicação das doses no Estado é fundamental para que a população fique protegida.

Minas Gerais bateu a marca de 19.021.606 de doses aplicadas na população. Até o momento, 13,3 milhões de pessoas – ou 81,27% dos adultos – tomaram a primeira dose.

Desse grupo, 5,4 milhões receberam o reforço, o que equivale a 36% do público-alvo. Outros 478 mil tomaram doses únicas da Janssen.

Dados divulgados nesta quinta-feira pela Secretaria de Estado de Saúde mostram que 99 cidades mineiras concluíram a aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid nos maiores de 18 anos. A maioria fica no interior e tem poucos habitantes.

Montes Claros caminha para essa conclusão, realizando, nesta semana, a vacinação dos jovens com 18 anos ou mais. 

Segundo a secretária de Saúde da cidade, Dulce Pimenta, ainda não é possível avançar para a imunização dos adolescentes de 12 a 17 anos nem com a terceira dose para os idosos e imunossuprimidos porque depende da entrega de doses da Pfizer pelo Ministério da Saúde.

“O Estado nos deu a previsão de começar a vacinar esse público a partir de 15 de setembro. Antes disso, só se chegar vacina”, afirma Dulce.

*Com Agência Minas