O Norte de Minas completa hoje 20 dias de lockdown, determinado pelo ingresso da região na “Onda Roxa” do plano estadual Minas Consciente. Apesar de todas as restrições de circulação de pessoas – inclusive com toque de recolher das 20h às 5h – e de fechamento do comércio, os números da Covid não param de crescer.

Na última semana, o semiárido mineiro registrou o maior crescimento de casos confirmados e mortes de toda a epidemia. O boletim epidemiológico regional divulgado nesta quarta-feira (24), que apresenta os dados semanais, mostra que o Norte de Minas confirmou 4.607 novos casos de infecção pelo novo coronavírus no período entre 17 e 24 de março. O número representa uma alta de 8,6% em relação à semana anterior (10 a 17 de março). No total, a região soma 57.599 casos de Covid-19.

O volume de mortes também foi recorde para o período de sete dias: foram 90 óbitos a mais, expansão de 10,4% em relação à semana anterior. Os 86 municípios norte-mineiros têm agora 952 vítimas fatais do coronavírus.

Segundo o relatório semanal feito pela Superintendência Regional de Saúde, não houve melhora em nenhum dos índices analisados: incidência, ocupação de leitos de UTI e velocidade de avanço da doença (Rt). 

ALERTA
A contínua escalada dos números preocupa e levanta o questionamento da eficiência do lockdown. Mas, para especialistas da área de saúde, é preciso ainda mais tempo para sentir o reflexo das medidas restritivas e não se descarta um fechamento ainda mais completo.

Essa é a opinião do infectologista do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da Prefeitura de Belo Horizonte, Unaí Tupinambás. Segundo ele, o cálculo utilizado anteriormente para a duração das medidas na capital não se aplica neste momento.

“Já estamos no final do período de mais uma onda de contaminação, mas apenas um dos indicadores de monitoramento, o número médio de transmissão por infectado (RT), caiu. Os índices de ocupação dos leitos de UTI Covid e de enfermaria para a doença continuam altos”, disse.

Por isso, o médico defende um lockdown generalizado na capital. Situação que pode se refletir em todo o Estado, já que o quadro é semelhante.

Uma explicação, de acordo com Unaí Tupinambás, seria a gravidade da nova variante que circula pelo Estado. Ainda não se sabe muito sobre as novas cepas e como elas atuam no organismo. Para o infectologista, uma das diferenças pode ser realmente o aumento do tempo do vírus no corpo humano, que pode ser de 21 dias e não de 14, como o vírus original da China.
 
TERROR
Para Unaí Tupinambás, o país vive em um cenário de terror. “Em uma guerra é difícil perder mil homens, estamos perdendo 3 mil a 4 mil homens por dia (para a Covid)”. Ele acredita que só a vacinação pode conter o avanço do vírus, junto com as medidas restritivas e os protocolos de segurança, como o uso de máscaras, o uso de álcool em gel, lavar as mãos frequentemente e, acima de tudo, o isolamento social.
 
ATÉ A PÁSCOA
Por causa do agravamento dos dados da Covid-19, o Estado decidiu estender a “Onda Roxa” do plano Minas Consciente até o domingo de Páscoa (4 de abril).

Os dados atuais da situação da pandemia mostram que a taxa de incidência da Covid-19 vem aumentando no Estado, chegando a 42% nas últimas duas semanas, o que indica que, nos próximos dias, subirá também o número de internações.

Na última semana, houve aumento de 6,1% no número de casos e de 6,8% nos óbitos. Já a positividade está em 43%.

*Com Maria Amélia Ávila