Produtores rurais do Norte de Minas estão apostando na criação de peixes para reforçar a renda. A piscicultura tem sido apresentada como uma importante alternativa de atividade na agricultura familiar. Animados com o cenário, eles articulam a criação de uma associação para impulsionar o negócio.

A mobilização começou há três anos, quando o Sistema Faemg/Senar/Inaes deu o primeiro treinamento em Bocaiuva e região aos iniciantes na piscicultura. “Fiquei impressionado com a infraestrutura que visitei, o grande número de propriedades com tanques grandes e muito bem construídos. Fiquei surpreso com o potencial piscícola”, afirma o oceanógrafo Fabrício Athayde Pimenta, instrutor que ministrou três cursos para 36 participantes na região.

Para este ano, já tem piscicultor que estima crescimento de 150% no faturamento. É o caso de Herciliano Carneiro que, depois de 32 anos na iniciativa privada, deixou a capital mineira e voltou com a família para Bocaiuva, onde tinha uma chácara de 15 mil metros quadrados.

Herciliano tinha interesse em investir em alguma atividade agrícola e, após se informar melhor e fazer o curso do Senar Minas, se decidiu pela piscicultura. Em maio de 2020, ele abriu o primeiro tanque de 450 metros quadrados e com capacidade para 1.800 quilos de tilápia, espécie que cultiva atualmente.

Em parceria com o cunhado e o sogro, abriu dois novos tanques de 75 e 200 metros quadrados cada e um poço artesiano. Foram introduzidas 3.900 tilápias para engorda e a dispensa ocorrerá em setembro deste ano, data estipulada pelo produtor para já estar trabalhando com tanques suspensos e sistema de filtragem. 
 
AMPLIAÇÃO
Dentro do projeto está a construção de mais dois tanques de 14 mil litros cada que serão o berçário e mais seis tanques de 50 mil litros cada para reposição dos peixes. A projeção é de uma produção de três toneladas de tilápia por mês. O projeto final é chegar a sete toneladas/mês.

“O mercado de tilápia está aberto e em crescimento. Minha ideia é investir nessa área, que é promissora”, aposta o produtor. 
 
ASSOCIAÇÃO
A ração é considerada o custo mais caro da produção, chegando a ser 70% do valor. Atualmente, pelo menos 45 produtores dos municípios de Bocaiuva, Olhos D’Água, Engenheiro Navarro, Guaraciama, Francisco Dumont e Joaquim Felício se uniram para criar uma associação dos piscicultores do Portal do Norte. 

“Vimos que na região de Bocaiuva e entorno a piscicultura estava se desenvolvendo bastante, mas, faltava conhecimento de como cuidar do peixe, trabalhar com a água. Então, o curso do Senar foi fundamental”, conta Maria de Fátima Souto Teixeira de Oliveira, mobilizadora do Senar Minas e do Sindicato dos Produtores Rurais de Bocaiuva.