Minas Gerais já tem 194 municípios enquadrados na Onda Roxa – a mais restritiva – do plano Minas Consciente. Quase metade deles está no Norte de Minas, região que foi enquadrada nessa nova divisão desde domingo. São 86 cidades que têm que respeitar uma série de restrições para tentar conter o avanço do novo coronavírus.

Os municípios são obrigados a cumprir o plano estadual, o que não acontecia nas demais ondas, em que era facultativo a adoção das diretrizes sanitárias. 

Com o Norte na onda mais rigorosa, é preciso adotar o toque de recolher das 20h às 5h, o uso obrigatório de máscara ao sair de casa – estando em área pública ou privada –, só é permitido o funcionamento de serviços essenciais e a circulação de pessoas fica limitada aos funcionários e usuários desses estabelecimentos. O deslocamento para qualquer outra razão deverá ser justificado e a fiscalização será feita com o apoio da Polícia Militar. 

As novas medidas têm duração de 15 dias. A decisão foi tomada no sábado (6), após reunião com mais de 150 representantes dos 113 municípios que integram as macrorregiões Norte e Triângulo do Sul – as mais recentes a serem enquadradas na Onda Roxa. Já estavam nessa situação as macrorregiões de Saúde Noroeste e Triângulo do Norte.

Além disso, a microrregião de Ponte Nova, que possui 21 municípios, pediu ao Estado para ser incluída na categoria. Assim, Minas tem atualmente 194 cidades na Onda Roxa, englobando cerca de 4,6 milhões de mineiros.

O objetivo é conter, de forma drástica, a transmissão da Covid-19 para restabelecer a capacidade assistencial nas cidades e preservar a rede hospitalar de todo o Estado.

O Norte de Minas registrava, no balanço divulgado ontem pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), 48.423 casos confirmados da doença e 790 mortes.
 
MAIS REGRAS
As regras para os municípios que estiverem na Onda Roxa incluem ainda a proibição de circulação de pessoas com sintomas gripais, exceto para a realização ou acompanhamento de consultas ou realização de exames médico-hospitalares; a proibição de realização de reuniões presenciais, inclusive de pessoas da mesma família que não coabitam; além da realização de qualquer tipo de evento público ou privado que possa provocar aglomeração, ainda que respeitadas as regras de distanciamento social.
 
OCUPAÇÃO DE LEITOS
Desde o dia 26 de fevereiro, o Estado vem apresentando grande aumento na taxa de ocupação de leitos, o que levou à criação da faixa mais restritiva do plano Minas Consciente. A macrorregião de Saúde Triângulo do Sul está, atualmente, com 78,10% de ocupação dos leitos de UTI. Já a região Norte, tem 67,97% dos leitos ocupados.

As macrorregiões Triângulo do Norte e Noroeste, que passaram para a fase roxa na última quarta-feira, estão, ambas, com 85% de ocupação dos leitos de UTI Covid. 

*Com Agência Minas