Está aberto o Processo Seletivo Simplificado (PSS) para contratação de 79 profissionais que irão contribuir com a viabili-zação do Plano de Contingência para Vacinação contra Covid-19 em Minas Gerais. São 32 vagas para profissionais de nível superior e 47 vagas para profissionais de nível médio/técnico.

As áreas de formação abrangem enfermagem, farmácia, biomedicina, ciências biológicas, gestores de serviços de saúde e patologia clínica/análises clínicas. Os contratados deverão atuar em Belo Horizonte e nas Unidades Regionais de Saúde de Minas Gerais.

O recrutamento, seleção, a contratação de profissionais por tempo determinado atende a necessidade de excepcional interesse público, não se caracterizando como concurso público. 

De acordo com o Edital SES/MG nº 01/2021, as inscrições são gratuitas e poderão ser feitas no site saude.mg.gov.br/processoseletivo, das 8h de 18 de janeiro até as 17h de 29 de janeiro. A remuneração pode chegar a R$ 4.955,15.
 
ETAPAS
O processo seletivo será realizado em duas etapas, de caráter eliminatório e classificatório: análise curricular e entrevista. Os contratos temporários terão vigência de seis meses a partir da assinatura, podendo ser prorrogados pelo prazo necessário à superação do estado de calamidade pública decorrente da pandemia causada pelo novo coronavírus, declarado pelo Decreto Estadual nº 47.891/2020. 

A aprovação neste processo de seleção não gera direito a imediata contratação, mas sim possibilidade, observada a necessidade e conveniência da administração pública. Todas as informações podem ser conferidas no edital.
 
CORONAVAC
A vacina CoronaVac, imunizante contra a Covid-19 da farmacêutica chinesa Sinovac e desenvolvida em parceria com Instituto Butantan, registrou 50,38% de eficácia global nos testes realizados no Brasil.

A informação foi confirmada pelo próprio instituto em uma coletiva de imprensa realizada na tarde desta terça-feira (12), em São Paulo.

O dado foi informado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no pedido de registro emergencial da vacina e atinge o mínimo de 50%, recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela própria agência.

A taxa de eficácia global aponta a capacidade da vacina em proteger todos os casos, sejam leves, moderados ou graves. “Ela tem todos os requisitos que justificam o seu uso emergencial. Temos hoje, talvez, uma das melhores vacinas do mundo”, disse o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, durante o anúncio.

Orientações para farmácias
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou orientações para a realização de testes rápidos para a investigação de infecção pelo novo coronavírus em farmácias.

A publicação prevê ainda recomendações para realização de vacinação nesses estabelecimentos, caso estejam incluídas nas estratégias de campanhas de vacinação do Ministério da Saúde.

O documento é destinado às farmácias e aos serviços de saúde, públicos e privados, que têm permissão para a realização dos testes. 

A agência reguladora recomenda o uso de testes para pesquisa de antígeno viral, por exemplo, do tipo RT-PCR e TR-Ag, para diagnosticar infecção aguda.

Além disso, informa que não é recomendado o uso de testes rápidos para diagnosticar infecção aguda. O documento ressalta que os resultados do teste rápido não devem ser usados isoladamente para determinar, por exemplo, se alguém pode voltar ao trabalho.

INFRAESTRUTURA
A Anvisa orienta que as farmácias que oferecem o exame por meio de coleta de amostra do trato respiratório superior, como as realizadas por meio de swab, sigam recomendações de biossegurança em relação à infraestrutura.

O documento orienta como as farmácias tenham separação física dos corredores de acesso; portas de acesso dupla com fechamento automático; ar de exaustão não recirculante e fluxo de ar negativo.
 
VACINA
A nota ressalta que os estabelecimentos precisam assegurar requisitos mínimos para garantir a segurança e qualidade na conservação, aplicação e no monitoramento das vacinas da campanha, bem como, a segurança do vacinado e a dos profissionais de saúde envolvidos.

“Neste quesito, de forma temporária e excepcional, as determinações sanitárias relacionadas à estrutura física podem ser flexibilizadas para as farmácias privadas durante este período da pandemia”.

*Com Agências Minas e Brasil