Com o quarto melhor desempenho no combate à propagação do novo coronavírus, Minas começa a colocar em prática um plano de retomada da atividade econômica, detalhado nesta quinta-feira (23) pelo governador Romeu Zema. “Não fizemos nada aleatoriamente, nada através de achismos. Foi tudo feito considerando as estatísticas”, afirmou o governador ao anunciar oficialmente o programa “Minas Consciente – Retomando a economia do jeito certo”.

Trata-se de um protocolo com uma série de recomendações para prefeituras mineiras que querem reabrir o comércio. Segundo Zema, mais da metade dos 853 municípios do Estado já decretaram algum tipo de flexibilização nas regras de isolamento social. 

De acordo com o governador, é possível fazer um planejamento consciente para a reabertura do comércio porque Minas é o quarto Estado com melhor desempenho em número de infectados por Covid-19 a cada 100 mil habitantes (atrás de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins).

Minas tem 1.308 casos confirmados da doença em 130 cidades e 51 mortes. Conforme o governador, menos de 15% dos testes feitos para o novo coronavírus no Estado deram resultado positivo.

Em Montes Claros, foi confirmado ontem o sexto caso de Covid-19. Como O NORTE mostrou na edição de ontem, várias entidades do setor produtivo da cidade e da região se uniram para apresentar uma proposta de retomada da atividade econômica no município.

Segundo decreto municipal, até 30 de abril os serviços não essenciais continuam proibidos de funcionar. No documento entregue pelas entidades representativas do comércio, indústria, serviços e agronegócio, foi enfatizado que nenhum setor suportaria mais 30 dias de portas fechadas.
 
CONTROLE 
No anúncio do plano de retomada, Romeu Zema disse ainda que não se trata de um afrouxamento do isolamento social, fundamental na contenção da pandemia. A intenção do programa é nortear os municípios para que a reativação econômica aconteça de maneira controlada e transparente.

Os prefeitos não são obrigados a aderir às orientações do programa, pois têm autonomia sobre o funcionamento do comércio. Mas, se fizerem, estarão contribuindo para um melhor controle no combate à epidemia.

“Mais da metade dos municípios de Minas já tiveram as atividades restabelecidas de alguma maneira, porque essa decisão foi tomada pelos prefeitos e não por mim, governador. Tomaram essa decisão porque não tinham casos ou óbitos em seus municípios e se sentiram seguros. Nesse momento, queremos dar mais segurança ao processo que já acontecia na maior parte das cidades mineiras”, disse Zema.

Vários municípios pequenos permitiram algum tipo de flexibilização sem impor regras para conter o avanço do novo coronavírus, segundo o governador, e o protocolo permitirá que essas prefeituras possam ter acesso e aderir a recomendações que minimizam a possibilidade de propagação da doença.