Paulo Brandão


Correspondente





BOCAIÚVA - Começou ontem, segunda-feira, a 33ª Semana nacional dos portadores de necessidades especiais. Estudantes, pais e coordenadores das escolas especiais de todo o país estão se mobilizando para uma longa programação que, em algumas cidades, se prolongará até terça-feira da semana que vem, 30. O tema escolhido para este ano foi: Escola especial: Instrumento de inclusão educacional e social de pessoas com deficiência mental.





Um dos objetivos desta semana será mostrar às pessoas que o portador de necessidades especiais é capaz de agir e interagir na sociedade. Outro passo é incluí-lo num processo social, afastando as possibilidades de exclusão social.





Nesta cidade, existem duas escolas que assistem aos portadores de necessidades especiais: a Apae - Associação de pais e amigos dos excepcionais e a Abrace - Associação bocaiuvense receptora de crianças e adultos especiais. Neste ano, somente a Apae está participando das comemorações.





Pela manhã, os alunos da Apae foram recebidos por centenas de colegas das redes de ensino público e particular. Participaram as escolas estaduais Dr. Odilon Loures, Antonico Soares de Sá, Genesco Augusto Caldeira Brant e o colégio Meta Júnior.





À tarde, aconteceu uma palestra para os pais, na sede da entidade. Hoje, por volta das 17h30, haverá palestra no Bocaiúva Clube, celebrada pelo padre Brígido, com o tema: Luz em minha vida - Paz para todos.





A programação de amanhã, quarta-feira, será Visita de inclusão, na escola estadual professor Gastão Valle. Será celebrada uma missa em ação de graças a todos os portadores de necessidades especiais na quinta-feira, 25, às 19h30, na igreja do Sagrado Coração de Jesus.





Sexta, 26, é o dia será de descontração para todos os alunos. No Bocaiúva tênis clube (Praça de esportes) haverá uma Rua de lazer.





Na outra semana, os alunos da Apae conhecerão a sede do poder legislativo, participando da reunião ordinária, às 20 horas. Também será um momento para ser prestado apoio aos deficientes, uma vez que é longa a luta pelos direitos dos alunos da Apae em relação aos benefícios municipais. Os trabalhos se encerram terça-feira, 30, com a acolhida aos alunos da Apae da cidade de Olhos D’água.





De acordo com o professor e coordenador pedagógico da Apae-Boc, Waldeir Marcelo Vieira, é necessário que toda a sociedade reconheça os direitos dos portadores de necessidades especiais:





- Em todos esses anos de fundação das entidades que assistem aos deficientes há muito pela frente a ser feito.