O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) divulgou o resultado final do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LirAa) realizado na semana passada em Montes Claros. O índice foi de 3,4%, menor do que o do último levantamento, feito em janeiro deste ano – de 5,9%. 

Mesmo com o índice de infestação inferior, os moradores precisam ficar em alerta, principalmente com a previsão de chuva para as próximas semanas. 
 
ALERTA 
Apesar de o índice ser menor, o município ainda está em estado de alerta para uma possível epidemia de dengue e outras doenças causadas pelo Aedes aegypti, como o Zika vírus e Chikungunya, pois o Ministério da Saúde considera seguras cidades com LirAa até de 1%. 

Por recomendação da Secretaria de Saúde de Minas Gerais, Montes Claros não participou do LirAa realizado em abril em todo o Estado, pois o município estava enfrentando situação de emergência quanto ao número de casos confirmados de dengue. De janeiro a setembro, pelo menos 8.253 pessoas tiveram a doença. 

A recomendação era para que o CCZ concentrasse as ações para eliminar focos da doença. Entre essas ações estava a pulverização de inseticida, popularmente conhecido como fumacê, nos bairros com maior incidência de focos. 
 
BAIRROS 
De acordo com o CCZ, os bairros onde os índices de focos do mosquito Aedes aegypti estão mais alto são Vila Sion (25%), Conjunto Havaí, (16,7%), Santo Expedito (14,2%), Vila Tupã (12,9%) e Residencial Tancredo Neves (12,5%).