Quase metade dos 853 municípios de Minas não registraram mortes por Covid-19 nos últimos 30 dias. A queda está diretamente ligada à campanha de vacinação contra a doença. Até o momento, 6 milhões de pessoas foram totalmente protegidas no Estado, com as duas doses. Já em relação à primeira, são 13,9 milhões. 

Conforme dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), 415 cidades não tiveram óbitos desde o início de agosto. Os números indicam, ainda, que 591 localidades estão sem registros há 15 dias, e 719 há sete.

A maioria dos municípios são de menor porte. Na lista estão Aricanduva (Vale do Jequitinhonha), Campo Azul (Norte de Minas), Cedro do Abaeté (Centro-Oeste) e Pedro Teixeira (Zona da Mata).

Apesar dos bons resultados, porém, é preciso que a população mantenha todas as medidas de proteção contra o vírus, reforça o membro do Comitê de Enfrentamento à Covid em BH, Unaí Tupinambás. 

Em recente entrevista ao Hoje em Dia, ele reforçou que é preciso uma cobertura da segunda dose em 80% da população. “E nós temos que manter os cuidados, com o uso da máscara”. 
 
REDUÇÃO DE CASOS
O número de novos casos é outro índice que apresentou melhora. Segundo a SES, nos últimos 30 dias, nenhum mineiro foi infectado pelo coronavírus em 51 cidades.

A diminuição do contágio reflete diretamente na ocupação dos leitos de terapia intensiva. Atualmente, 786 pessoas estão internadas nas vagas exclusivas para pacientes com Covid em Minas, o que significa 27% de ocupação. 
 
VARIANTE DELTA
Mesmo diante da melhora nos indicadores, Minas vem registrando casos da variante Delta. Em uma semana, foram 25 novas notificações, que elevaram para 258 o número de amostras positivas.

Juiz de Fora, na Zona da Mata, é o município com maior número: 38. BH aparece em seguida, com 25. Em Minas, há casos de transmissão comunitária da variante. 

Até o momento, conforme informou a pasta, seis pessoas morreram em decorrência da variante. 

“Neste mês, vamos ter ideia de como vai ser a movimentação da Delta no Brasil. Mesmo ela ainda não conseguindo fazer frente às demais cepas, é preciso manter todos os cuidados”, acrescenta Unaí Tupinambás.