Tiago Severino


Correspondente



PIRAPORA - No mês de junho deste ano, o nível de emprego em Pirapora cresceu 1,58%. Segundo o Caged - Cadastro geral de empregados e desempregados, 374 pessoas foram admitidas, sendo a indústria de transformação a principal responsável pelo aumento. Em contrapartida das 254 demissões, 87 foram do setor da agropecuária.



Segundo dados do ministério do Trabalho, no mês de junho apenas o comércio teve variação negativa, - 0,37%, com 49 admissões e 55 demissões. Nos primeiros seis meses do ano, o pior resultado foi o setor da indústria de extração mineral, com - 8,33%.



Em comparação com o ano passado, a construção civil teve a melhor variação, com 119,23%. Em doze meses, 3.331 pessoas foram admitidas em Pirapora.



Cerca de 100 pessoas passam por dia no Sine-Pirapora - Serviço nacional de empregos, que desde a implantação, em maio de 2004, foi responsável por inserir 300 trabalhadores no mercado da cidade e região.



Segundo o Sine-Pirapora, a maioria dos desempregados que procuram por vagas é de mulheres entre 18 e 25 anos de idade, com ensino fundamental completo. Entretanto, a maioria das vagas disponíveis no sistema é para homens, para trabalhar na indústria de transformação e siderúrgica, setor responsável por 422 admissões no primeiro semestre deste ano.



De acordo com o Sine, o principal empecilho para conseguir emprego na cidade e na microrregião é a falta de experiência comprovada na carteira de trabalho.