Montes Claros sucumbiu à forte chuva que caiu na cidade desde sábado. Ruas foram alagadas e casas inundadas. Os Bombeiros atenderam várias ocorrências de alagamentos e quedas de árvores. A previsão é a de que a chuva forte continue nesta semana.

Na manhã de ontem, moradores dos bairros Sagrada Família e Cândida Câmara, ainda assustados pelas chuvas de sábado, acordaram novamente com a água entrando em casa. A médica J.B. deveria estar no serviço às 7h, mas só conseguiu sair de casa depois das 10h.

“A água invadiu parte do edifício e, para sair, tivemos que esperar a inundação baixar. A garagem ficou alagada e não tivemos condições nem de retirar o veículo”, diz a moradora do Sagrada Família. 

Ela atribui o problema à obra realizada pela prefeitura na avenida Vicente Guimarães. “O cano estourou e abriu um buraco de cerca de 5 metros na rua. A água acumulou e foi para as casas. Antes da obra isso não acontecia nessa proporção”.

No Cândida Câmara, nove casas foram invadidas pelas águas. Segundo o Corpo de Bombeiros, que atendeu a ocorrência no local, uma manilha de água pluvial obstruída provocou o represamento das águas e o alagamento das residências.
 
MAIS PROBLEMAS
No Independência, o temor dos moradores se concretizou. Há mais ou menos três anos lutando para serem vistos pela prefeitura, eles denunciam o descaso com a rua Padre Marinho.

“Já estávamos ilhados. A rua estava intransitável. Com essa chuva do final de semana, a água entrou nas casas e uma quantidade enorme de entulhos, que havia sido colocada na rua para tapar os buracos, entrou nas residências. Alertamos, pedimos e nada foi feito até agora. Fomos largados como se não fizéssemos parte desta cidade”, diz Clara Sampaio.

Procurado pela reportagem, o secretário de Obras, Guilherme Guimarães, disse que não há relação entre a obra da avenida Vicente Guimarães e o alagamento ocorrido no Sagrada Família. De acordo com ele, uma equipe da prefeitura esteve ontem no local e detectou que o problema teve origem na rede de água que passa debaixo das casas: um cano teria estourado, ocasionando o alagamento.

“A prefeitura vai fazer um estudo para avaliar a construção de uma rede na via pública, já que as casas não podem ser demolidas. Fizemos uma desobstrução no local para minimizar os impactos”, afirmou o secretário, sem dar uma previsão de quando será feito o serviço. Sobre a situação do bairro Independência, Guilherme Guimarães disse desconhecer o problema, mas que enviaria uma equipe ao local.
 
ALERTA VERMELHO 
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta nesta segunda-feira de “grande perigo” para boa parte de Minas Gerais, principalmente no Centro e Norte do Estado. Há previsão de chuva intensa, superior a 60mm/h ou maior que 100mm/dia, ventos superiores a 100km/h.

SAIBA MAIS
Em Porteirinha, dois carros foram arrastados pela correnteza e encontrados pelos Bombeiros no rio Mosquito. O motorista de um deles não conseguiu abandonar o veículo antes de ser levado pela correnteza. O corpo do motorista de uma mineradora de Riacho dos Machados, de aproximadamente 40 anos, foi resgatado sem vida pela corporação. Ele é a 13ª vítima das chuvas em Minas, desde outubro do ano passado – quando teve início esse período chuvoso.

*Com Leo Queiroz