Cada pessoa que doa sangue pode salvar até quatro vidas, segundo estatísticas do Ministério da Saúde. Nesta segunda-feira (25), Dia Nacional do Doador de Sangue, a estudante Paloma Dayrel dos Santos, de 20 anos, cumpriu o seu papel ao praticar o ato pela primeira vez.

“Eu sempre tive o sonho de doar e, por meio de um convite de uma amiga, resolvi vir e quero voltar outras vezes. É super tranquilo a doação, vale a pena”, destacou a estudante.

O Hemominas precisa diariamente de pessoas com o espírito de Paloma que, em um simples gesto, e em poucos minutos, possam contribuir para a vida de outros. Segundo dados do Ministério da Saúde, 1,7% dos brasileiros são doadores de sangue. Além disso, é fundamental que haja regularidade nas doações, para que não haja quedas drásticas nos estoques.

A responsável pela captação de sangue do Hemominas em Montes Claros, Rosana Silva, enfatiza que todo dia é dia do doador. A data existe apenas para enaltecer o gesto e incentivar mais pessoas a terem essa prática. 

“O doador é um ser tão especial, pois ele tem a sensibilidade de compartilhar a vida sem querer nada em troca. É o gesto mais humano possível”, ressalta Rosana Silva. 

O Hemominas de Montes Claros depende de doadores de todos os tipos sanguíneos, principalmente os do tipo O Negativo e O Positivo, para atender 38 hospitais de 26 municípios do Norte de Minas, em uma área com 2 milhões de habitantes.
 
TRANSPORTE
Para incentivar a doação, os municípios cadastrados no Hemominas fazem caravanas com pessoas interessadas em ser doadoras. Geralmente, cada prefeitura encaminha um micro-ônibus com pelo menos 20 pessoas.

Em outubro, sem esse tipo de transporte, o estoque de sangue do hemocentro caiu 70%.

Uma das doadoras que vem nas caravanas é Maria das Dores de Souza, de Taiobeiras. Doadora há dois anos, ela afirma que o gesto tem que ser repetido sempre que puder. “É muito boa a sensação de estar ajudando alguém. O meu sangue pode ajudar a salvar vidas, isso para mim é muito gratificante”.

QUEM PODE DOAR
Pessoas entre 16 e 69 anos podem doar sangue. Para os menores (entre 16 e 18 anos) é necessário o consentimento dos responsáveis e, entre 60 e 69 anos, a pessoa só poderá doar se já o tiver feito antes dos 60 anos.

É preciso pesar no mínimo 50 quilos e estar em bom estado de saúde. O candidato deve estar descansado, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação, não fumar nas 2 horas antes da doação e não estar em jejum. No dia da doação, é imprescindível levar documento de identidade com foto.