O calor intenso e a seca não têm dado trégua na região do semiárido mineiro. Para ajudar as comunidades mais afetadas pela estiagem, a lista de municípios que serão atendidos com abastecimento de água por caminhão-pipa aumentou. Mais 34 cidades que integram a área mineira da Sudene entraram no sistema de socorro da Defesa Civil Estadual, totalizando 60 municípios atendidos.

Até a semana passada, 26 cidades estavam recebendo água potável através de caminhões-pipa. Por meio de um pedido da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), que mostrou à Defesa Civil os impactos causados pela estiagem nas comunidades rurais, o órgão estadual agregou mais 34 municípios.

Riachinho é uma das cidades que começaram a ser atendidas nesta semana. “Nossa cidade é formada mais por zona rural. E o povo está sofrendo com a seca, que tem prejudicado lavouras. Tem lugar que nem chega água potável e sempre precisamos do caminhão-pipa. Estamos aliviados. É gratificante ver o sorriso no rosto do nosso povo”, afirma o prefeito Liedson Martins.

De acordo com a Amams, são 129 municípios da área mineira da Sudene que tiveram o decreto de Situação de Emergência homologado pelo Estado e referendado pelo governo federal. 

Em função disso, 44 cidades já foram atendidas com abastecimento de água e ajuda comunitária, como cestas básicas – totalizando 44,5 mil pessoas beneficiadas. Depois, mais 26 municípios entraram no projeto, número ampliado novamente. 

“Nós temos sido procurados por vários prefeitos, preocupados com o quadro atual de diversas famílias que estão sem água. E não temos previsão da chegada de chuvas na nossa região. Isso sobrecarrega as prefeituras, que são obrigadas a contratar caminhões-pipa, mesmo com a queda de recursos por causa da pandemia do novo coronavírus”, destaca Lara Batista Cordeiro, presidente da Amams e prefeito de Ibiaí. 

PLANO MUNICIPAL
O major Eduardo Lopes, superintendente de Gestão de Desastres da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, pontua que 72 municípios apresentaram o Plano Municipal de Distribuição de Água e que 60 já estão sendo atendidos – 12 cidades dependem apenas de detalhes técnicos da documentação. “O Estado tem R$ 6,499 milhões, repassados pela União, para as ações de ajuda às vítimas da seca”, afirma. 

Relatório feito pela Emater aponta que o Norte de Minas teve prejuízo de R$ 900 milhões na safra agrícola 2019/2020. O período vai de 1º de julho de 2019 a 30 de junho de 2020. A análise pluviométrica aponta que choveu, em média, 915 milímetros no ano agrícola, sendo apenas 35% desse total em 2019.