Uma equipe de pesquisadores do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) desenvolveu um método que transforma bebidas alcoólicas em álcool líquido 70%, utilizado para higienizar as mãos no combate ao coronavírus. A fabricação do produto começa nesta semana.

Na fase de testes, foram produzidos 700 litros de álcool líquido 70%, doados para os hospitais de Salinas e de Taiobeiras. Não será possível produzir álcool em gel porque faltam reagentes no mercado.

Antes de iniciar a produção, a equipe fez diversos testes laboratoriais com bebidas alcoólicas apreendidas pela Receita Federal e com cachaça doada por fabricantes de Salinas.

A produção do álcool 70% está sendo feita na fazenda Santa Isabel, onde fica o campus do IFNM e que também possui um alambique.

De acordo com o engenheiro químico Raphael Mesquita, é possível transformar qualquer tipo de bebida alcoólica em álcool líquido 70%. Com os 140 litros doados pela Receita Federal, foi possível produzir 80 litros do produto.

“Durante a fabricação da cachaça, no início do processo, sai o subproduto chamado de ‘cabeça’, que é o álcool acima de 48%. No final sai outro substrato que chamamos de ‘calda ’, com teor alcoólico abaixo de 48%. Quando misturamos as duas substâncias, conseguimos um álcool de 98%. Pegamos esse produto e colocamos na ‘coluna’ (local onde se faz a separação do álcool), misturamos com água até chegar a 70%, que é o volume indicado pela Organização Mundial de Saúde (OMS)”, explica Raphael.
 
DOAÇÃO
Segundo o diretor-geral do campus Montes Claros, Renato Cota, o álcool será doado para famílias em situação de vulnerabilidade social e para hospitais.

“Mais uma vez, o IFNMG está utilizando a sua expertise, a sua competência técnica e a competência de seus servidores em prol da população, principalmente neste momento de enfrentamento da Covid-19. Não podemos deixar de destacar a importância da parceria com a Receita Federal, que fez a doação das bebidas”, afirma o diretor.
 
EM AÇÃO
O grupo de pesquisa foi formado através do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus, criado para coordenar ações de combate à Covid-19, pelo diretor-geral do IFNMG – Campus Salinas, Wagner Patrício. O grupo conta com apoio do Corpo de Bombeiros, Samu, Polícia Militar e com a Associação dos Produtores Artesanais de Cachaça de Salinas (Apacs).

Os servidores que compõem a equipe de trabalho são os engenheiros químicos Saulo Fernando dos Santos Vidal e Ramon Geraldo, o biólogo Otávio Filho, o químico Daniel Magalhães, o técnico em laboratório Robson Vasconcelos e os graduandos em Engenharia Química Ana Clara e Raphael Mesquita.