São números que assustam e acendem o alerta: os acidentes de trânsito matam mais que os crimes violentos em Minas Gerais. Balanço da companhia Líder, responsável pelo seguro entregue às famílias das vítimas, mostra que 4.127 indenizações foram pagas em 2018. O número é 33% maior se comparado à soma de homicídios, lesões corporais e latrocínios registrados no ano passado, quando 3.099 mineiros perderam a vida após serem alvo da bandidagem.

No Norte de Minas as ocorrências são alarmantes. No último dia 3, acidente entre ônibus e caminhão deixou uma jovem de 26 anos morta e 12 feridos na BR-365, próximo ao distrito de Barra do Guaicuí, em Várzea da Palma.

Na BR- 135, próximo à Lagoinha, a batida entre duas carretas e um carro de passeio deixou três pessoas mortas. No mesmo dia, em Montes Claros, um rapaz de 26 anos morreu na hora após se chocar de motocicleta em um posto na Avenida Plínio Ribeiro.

No mês de conscientização sobre a violência no trânsito – intitulado Maio Amarelo – o volume de ocorrências envolvendo motocicletas chama a atenção.

No ano passado, 65% dos atendimentos realizados pelo Samu Macro/Norte foram em decorrência de acidentes com motos: média de 167 registros contabilizados a cada mês.

Segundo os dados do SAMU, das 3.072 ocorrências registradas em 2018, 1.998 envolveram motos.

E neste ano a triste estatística pode até ser superada. Ainda de acordo com o Samu, somente de janeiro a março deste ano já foram registrados 700 acidentes com vítimas na cidade – e 453 deles envolveram motos.
 
OUTROS CASOS
Também no início do mês (4) uma colisão entre ônibus e caminhão deixou 22 feridos e dois mortos na BR-251, próximo a Santa Cruz de Salinas. O ônibus transportava a delegação de futebol juvenil do Esporte Clube Bahia e bateu de frente com o caminhão. Os motoristas do ônibus e do caminhão morreram no local.

No dia 7, um caminhão tombou na BR-251, em Francisco Sá. Parte da carga de óleo vegetal transportada caiu na pista. Felizmente não houve vítimas.

Segundo a Polícia Militar Rodoviária, nas estradas estaduais que cortam o Norte de Minas foram registrados de janeiro a abril deste ano 198 acidentes, com 256 vítimas –18 mortes.

“A maioria deles foi por imprudência dos motoristas, o que infelizmente ainda é um problema muito grande pra gente. Então, sempre destacamos o trabalho de prevenção, de conscientização dos motoristas na hora de cometer algum tipo de infração e que vai trazer algum risco”, afirma a cabo Maria Claudilane Pereira, assessora de Comunicação da Polícia Militar Rodoviária, lembrando ainda que a maioria dos acidentes ocorreu por ultrapassagens irregulares e excesso de velocidade.