Depois de ver uma expressiva queda de emplacamentos em 2020, que atingiu em cheio modelos como Captur, Sandero e Kwid, a Renault acaba de lançar no Brasil o serviço Renault On Demand. Trata-se de uma oferta de assinatura de carros, como Audi e Volkswagen já oferecem por aqui.

O serviço segue os moldes das demais opções de assinaturas ao redor do mundo. O cliente contrata um plano com opções de 12 a 24 meses, com pacote de quilometragem e escolha de modelo.

De acordo com a Renault, o serviço faz parte da mudança do comportamento de consumo. Segundo a marca, o conceito de posse está migrando para a ideia de contratar um serviço. 

De fato, a grande vantagem de assinar um carro é ficar livre de gastos como seguro, manutenção, tributos e desvalorização. Contas que vivem martelando na cabeça do consumidor.

Para atrair a atenção do cliente, a marca ainda oferece os carros com película nos vidros, entrega na residência, assim como seguro que cobre invalidez, morte e até desemprego.

Mas o tempo de entrega pode levar até 35 dias. Questionada se essa demora se dá pelo fato de a marca só produzir o carro após a contratação, a Renault garante que as unidades para contrato já têm estoque e que a demora se deve ao processo logístico. Também explica que os modelos mais populares da gama, com as cores mais comuns e nas principais praças, a espera cai para sete a dez dias.
 
LINHA
O serviço de assinatura conta com quatro modelos. A opção de entrada é o Kwid Zen, com mensalidade de R$ 869. Um degrau acima surge o Kwid Outsider, por R$ 879. 

Já a mensalidade do aventureiro Stepway 1.6, com caixa do tipo CVT, salta para R$ 1.539. E, por fim, o Duster Iconic, com o mesmo conjunto mecânico do hatch, por R$ 1.699.

No entanto, a marca quer ampliar o leque, inclusive com opções elétricas. E não deixa claro que se trata do Zoe, mas ele é o único modelo eletrificado que a marca oferece por aqui. 
 
UBER
A solução da Renault, à primeira vista, pode ser uma opção para motoristas de aplicativos que locam carros para trabalhar. No entanto, os executivos consideram que a franquia de quilometragem não atende a esse perfil de cliente, que roda muito durante o mês. 

De fato, o plano mais barato (por R$ 870) só oferece 500 quilômetros mensais. Para um motorista de aplicativo, ele consumiria a franquia em dois dias, ou até menos.

No entanto, há opções com até 2 mil quilômetros que podem ser rodados, no mês, sem pagamento de valor adicional. Ainda assim, pode ser insuficiente para quem ganha a vida atrás do volante.
 
REVENDA
A francesa explica ainda que os planos foram ajustados para que, ao fim do contrato, o automóvel possa ser vendido no varejo de usados dentro da faixa de preço do mercado. Nessa jogada, a Renault foi inteligente. Afinal, o varejo de usados movimenta cerca de 12 milhões de carros por ano, bem mais que os 2 milhões no varejo de novos.

Sistema integrado facilita controle da quilometragem 
O carro por assinatura se tornou uma opção interessante para quem busca um automóvel novo sem ter que desembolsar uma grande quantia na compra. Além disso, o serviço retira das costas do cliente custos como tributos, manutenção e seguro. Mas uma das grandes dúvidas de quem assina o carro é controlar a franquia de quilometragem. 

Essa franquia funciona como o pacote de dados do celular. A diferença é que quando o pacote do telefone acaba, a Internet é cortada. Com o carro não dá para fazer isso. Assim, ao término do contrato, o cliente paga pela quilometragem excedente.

Uma solução para o problema é o sistema Go Drive, serviço de assinatura do Grupo Águia Branca. O serviço inclui sistema de conectividade fornecido pela Wings. Na prática, ele funciona como um taxímetro capaz de conectar o carro a uma base de dados e fazer a leitura da quilometragem. 

Dessa forma, o cliente não é surpreendido no fim do contrato. “Neste primeiro ano, aprimoramos a tecnologia do nosso sistema desenvolvendo um algoritmo próprio de cálculo de quilometragem, que permite à empresa fazer cobrança por franquia de quilômetro mensal. Esse movimento permitiu ainda que nossos parceiros criassem planos específicos para cada nicho de mercado, barateando a oferta para o cliente final”, explica João Marcelo Barros, co-fundador da Wings.

O Go Drive está longe de ser barato. O serviço oferece modelos novos com franquias de 12 ou 18 meses, com preços que variam de R$ 1.690 a R$ 4.900.