Nestes dias de confinamento social em função da pandemia da Covid-19, devemos evitar ao máximo sair de casa. Mas há quem precise se locomover para o trabalho. E quem pode ir de carro, que o faça para evitar contato e desobstruir o transporte público. Mas alguns cuidados com seu automóvel evitam que ele deixe de ser uma ferramenta útil e se torne um problema.

Já é sabido que o novo coronavírus pode sobreviver por horas ou dias dependendo do tipo do material em que está repousado. Plástico, vidros, madeiras, metais e até mesmo o asfalto. Assim, se o leitor precisa se deslocar de carro nesses dias para ir ao trabalho, ou fazer compras, é preciso ficar atento para não se contaminar.
 
ÁLCOOL EM GEL
A primeira dica é ter sempre álcool em gel dentro do carro. Não esqueça de higienizar as mãos e cotovelos. Sim, os cotovelos podem apoiar nos descansos das portas ou no console central. 

Limpe sempre as partes de contato com seu corpo. Maçanetas, volante, alavanca do câmbio, freio de mão, comandos dos vidros, comandos do painel, alavancas de seta e limpadores de parabrisas, além do rádio. 

Use um lenço de papel para isso e não se esqueça de jogá-lo fora. E, por falar em jogar fora, evite acumular lixo no carro. Aquelas sacolinhas que ficam na transmissão são úteis no dia a dia, mas devem ser evitadas nesse período de quarentena. 

Dirija com os vidros abertos, principalmente se você estiver com passageiros. Vidro fechado e ar-condicionado retêm o ar no ambiente, o que pode não ser uma boa ideia.
 
CALÇADOS
Evite dirigir descalço, pois muitas vezes o motorista acredita que entrar no carro e tirar os calçados pode evitar sujeira. Mas lembre-se de que seu tapete pode estar com sujeira acumulada e, o pior, os pedais também são sujos. 

Para que você não precise ficar se esfregando no carro para remover tapetes e limpar pedais, dirija calçado. E quando chegar em casa, deixe o par na porta.

Para quem usa o carro para trabalho como motorista de táxi e de aplicativos, o ideal é higienizar a cabine rotineiramente. Limpar bancos, maçanetas, puxadores de portas, forro das portas e tapetes. O ideal é fazer isso com luvas e máscara. Pode soar excessivo, mas estamos lidando com um problema que é invisível.
 
MANUTENÇÃO
Muita gente gosta de dar um trato no carro. Mas é bom evitar, por enquanto. Fique atento aos níveis de óleo lubrificante e líquido de arrefecimento (água do radiador). Mas não precisa fazer isso todos os dias. Baixou o capô, limpe as mãos.

Se seu carro é antigo e baixa óleo, você precisa usá-lo todos os dias. Deixe um frasco guardado no porta-malas. Isso evita precisar ir ao posto e compartilhar o frasco com o frentista. É saudável para você e para ele. Caso seja necessário, lembre-se da higienização das suas mãos e do próprio frasco.

O mesmo é válido para a calibração dos pneus. É recomendado que se faça isso a cada 15 dias. Pneus murchos aumentam o consumo e o desgaste. Mas seja prudente e só calibre se eles estiverem muito murchos. 

Pneus são como sapatos, estão em contato direto com o piso, que por sua vez está contaminado com todas as sujeiras possíveis. Isso, sem contar que as mangueiras de ar, dos postos, também são manuseadas por qualquer um. Assim, se realmente for preciso calibrar os pneus ou trocar algum deles, não se esqueça de higienizar as mãos logo em seguida.
 
LAVAGEM
Carro sujo nunca é bonito, mas nesses dias de confinamento não é prudente ficar alisando seu automóvel. Mantenha vidros, faróis e lanternas limpos, caso estejam muito sujos e comprometam a visibilidade e iluminação. 
 
CARRO PARADO
Para quem não precisa sair de casa, o ideal é deixar o carro parado. Nada de ficar dando voltas por aí nesse período de confinamento, cuja duração desconhecemos. Tudo vai depender da forma como a pandemia se alastra. Então, saiba que seu carro pode ficar um bom tempo parado.

O combustível no tanque tem validade variável de acordo com o tipo. Gasolina comum tem vida útil média de três meses. Já a gasolina aditivada pode ser armazenada no tanque por até 12 meses. 

O etanol também mantém as propriedades de queima por até um ano. O diesel, por sua vez, dura dois meses na versão S10 (com menor volume de partículas de enxofre), enquanto o S500 (com maior volume de enxofre) tem validade de quatro meses.

Ou seja, se o amigo abasteceu o carro antes da quarentena, na pior das hipóteses, ele pode ficar quietinho por dois meses.
 
LUBRIFICANTE
Os lubrificantes têm vida útil entre seis meses e um ano, dependendo da especificação e composição. Óleos sintéticos são os que duram mais. Mas fique tranquilo caso seu lubrificante esteja prestes a vencer, ele não irá virar graxa da noite para o dia. Deixe esse período passar e depois faça a troca.
 
BATERIA
A bateria é algo que merece atenção pois pode descarregar. Mas isso varia de carro para carro e dos equipamentos instalados no veículo. Se seu carro tem menos de cinco anos de uso, não conta com muitos acessórios instalados e sua bateria não tem mais de dois anos de uso, pode ficar sossegado. 

Geralmente rádios e alarmes paralelos ajudam a descarregar mais rápido. Apesar de especialistas não recomendarem, caso seja necessário, dê partida no motor e deixe ligado por uns 15 minutos com faróis e rádio apagados e tudo mais que dependa de eletricidade para funcionar. Mas faça isso, só se ela estiver muito fraca e com dificuldades de girar o motor de arranque.

No mais, fique em casa e deixe seu carro quieto na garagem.