Não parece, mas o Jaguar F-Type está prestes a chegar ao seu sétimo ano de mercado. E mesmo que ele se negue a mostrar sinais do tempo, a fabricante inglesa resolveu promover a primeira plástica do esportivo, que ganhou novos faróis, lanternas, para-choques e capô. Mas são os olhos desse Jag que hipnotizam, como os de um gato.

Disponível com carroceria cupê e roadster, o F-Type se posiciona como o modelo mais carismático da marca. E que de certa forma resgata a mística dos antigos roadsters compactos como SS e o clássico XK 120. Medidas que foram se perdendo com a chegada do E-Type e posteriormente com os grandalhões XJ-S e XK8.

O desenho vertical das lentes deu lugar para um conjunto ótico horizontal, que segue o padrão visual dos demais sedãs da marca. O para-choque frontal também ganhou desenho mais limpo, assim como a peça traseira tem como destaque o grande extrator de ar, pintado na cor da carroceria.

Já as lanternas estão mais afiliadas. São mudanças simples, mas que ajudam a rejuvenescer as linhas de um automóvel que se nega a envelhecer.

Por dentro, o F-Type é praticamente o mesmo, com exceção do quadro de instrumentos digital de 12,3 polegadas, que permite configurar a disposição dos instrumentos de diversas maneiras. De resto, ele segue igual, com perfeito encaixe do motorista e passageiro e impecável disposição dos comandos.
 
MOTORES
Como se trata de uma atualização e não de uma nova geração, o F-Type segue com sua família de motores, que tem como opção inicial um bloco 2.0 turbo de 300 cv, passando para uma unidade V6 3.0 Supercharger (compressor mecânico) de 385 cv e termina no famoso V8 5.0, também com auxílio de compressor, com potências de 450 e 575 cv. A tração é traseira, com opção de integral na versão R. Já a transmissão é automática de oito marchas. 

A linha 2020 deve chegar por aqui ainda no primeiro semestre. Atualmente, os preços do esportivo variam entre R$ 420 mil e R$ 840 mil, dependendo da versão de acabamento, motorização e tipo de carroceria.