A greve dos Correios, que acontece em todo o país, já afeta o serviço em 28 cidades do Norte de Minas. Ao todo, 109 funcionários aderiram à paralisação das atividades. A maioria é do setor operacional, responsável pelas entregas de mercadorias. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, a greve é por tempo indeterminado, devido à retirada de direitos históricos dos servidores.

O sindicato aponta que houve queda de 60% no acordo firmado na última paralisação, em 2018, que estava garantido até 31 de julho de 2021. Porém, os benefícios pioraram e, durante a pandemia, a demanda aumentou, com mais entregas de produtos feitas pelos Correios. 

“A direção da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), de forma brutal, tenta excluir 70 cláusulas do atual acordo, além de não propor reajuste salarial para a categoria. O fato e´ que, conforme demonstrado nas divulgações do balanço contábil de 2017, a ECT teve lucro de R$ 667 milhões”, afirma a nota do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios. 

A classe também é contra a proposta de privatização da estatal, que vem sendo discutida pelo governo federal. Para o sindicato, essa incerta traz prejuízos, não garantindo a “paz e segurança jurídica mais duradoura aos trabalhadores dos Correios, que possuem o menor salário entre as empresas públicas”. Além disso, eles temem que, no processo de privatização, possa haver demissão de milhares de trabalhadores. 

Em nota, os Correios reconheceram a greve como um direito do trabalhador, mas a empresa alega que o movimento atual é injustificado e ilegal, pois não teria havido descumprimento de qualquer cláusula do acordo coletivo de trabalho da categoria. 

Os trabalhadores dos Correios, especialmente aqueles que fazem o serviço de entrega, ainda reclamam que estão muito expostos à contaminação pelo novo coronavírus.

As cidades do Norte de Minas que aderiram à greve são: Brasília de Minas, Bonito de Minas, Bonópo-lis, Felício dos Santos, Itacarambi, Jaíba, Japonvar, Januária, Janaúba, Lontra, Manga, Mirabela, São João das Missões, Montal-vânia, Montes Claros, Monte Azul, Patis, Pedras de Maria da Cruz, Porteirinha, Pirapora, Riacho dos Machados, São João da Ponte, São João do Pacuí, São João da Lagoa, São Romão, Taiobeiras, Verdelândia e Ubaí.