A análise de relatórios recentes divulgados por vários órgãos de proteção e defesa dos direitos humanos pelo mundo traz uma constatação: o número de crimes de abuso e violência dentro do ambiente familiar cresceu durante a pandemia. Esse aumento é atribuído ao fato de que, com as medidas de isolamento, vítimas e agressores passaram a conviver sob o mesmo teto durante mais tempo. Há de se considerar, ainda, que essas mesmas medidas restritivas tornaram mais difícil o acesso das vítimas às delegacias e outros órgãos assistenciais, o que pode contribuir para a subnotificação dos casos de agressão.

E reafirmando o seu compromisso com a sociedade de auxiliar as famílias em educar suas crianças e adolescentes para irem muito além do ensino, a Escola Adventista em Montes Claros, promove o Projeto de valorização da vida e prática da solidariedade.

Movimento do bem
A coordenadora pedagógica da instituição, prof. Ellenciria Matos, afirma que como escola, a instituição busca trabalhar a prevenção de violências e abusos, por meio de lives que abordam o assunto e as ações que incentivam o bem estar dos alunos e de suas famílias.

“Agora em 2021, com as aulas acontecendo na modalidade híbrida, vamos realizar um movimento em nossa escola para despertar os alunos na valorização da vida, na prática da solidariedade e, mais uma vez, levantaremos a bandeira contra o abuso infantil. É urgente que despertemos em nossos alunos a consciência de valorizar a vida, de se preocupar com o próximo, e de se saber, se proteger contra os abusos e violências. Trabalhando esses conteúdos dentro da escola, acreditamos estar contribuindo para uma sociedade sadia e um mundo com seres humanos melhores”, frisa Ellenciria.

Solidariedade
Na quinta-feira, 26, a direção da escola trabalhou com os alunos o aspecto da solidariedade. Alunos foram desafiados a doarem roupas, sapatos e também kits de higiene, doações essas, que serão encaminhadas para famílias carentes da cidade. Mais de 200 peças de roupas já foram doadas por parte dos alunos, e encaminhadas para o projeto social Corrente do Amor.

Uma campanha também de arrecadação de kits de higiene pessoal está em andamento, e doações também serão direcionadas para a Corrente do Amor.

“Eu valorizo a vida quando cuido do outro. Quando cuido do outro isso me ajuda a me sentir bem”, resume Ellenciria.

Engajadas socialmente
Andréa Gonçalves de Oliveira, coordenadora social do projeto Corrente do Amor, afirma que foi convidada pela Escola Adventista para falar aos alunos, a importância de ajudar o próximo e contar como surgiu a instituição. Ela mostrou o quanto as pessoas estão passando por diferentes tipos de dificuldades, como fome, desemprego, depressão e falta de oportunidade.

“Tudo isso reflete negativamente na sociedade e se torna um problema de todos. Falamos também o quanto a instituição vem mudando vidas e que precisamos de ajuda para continuar de pé. Foi um bate papo muito legal, e buscamos fazer com que essa geração fique mais engajada nas questões sociais”, relata Andréa.

Sensibilidade x necessidade
Maria Clara Xavier, aluna do 6º ano da Escola Adventista, conta que em meio a dificuldade vivenciada pela sociedade atualmente, em virtude da pandemia, é muito importante se sensibilizar com a necessidade do próximo.

“Cada um de nós podemos aliviar a dor e o sofrimento de muitas famílias que não tem nem o básico para sobreviver. Este movimento de solidariedade promovido na Escola Adventista, desperta em nós o sentimento de amar ao próximo, e de esperança que viveremos dias melhores”, finaliza Maria Clara.