Depois de quatro anos de mercado, a Citroën aplica a primeira plástica no compacto C3. O hatch francês ganhou retoques nos para-choques, faróis, grade e lanternas, mas sem perder as características principais da geração. Completa o visual externo as novas rodas de liga leve, aro 16 e 17.

Debaixo do capô, o C3 segue o mesmo, com três opções de motores, com duas versões Puretech de 83 cv e 110 cv, além de uma versão diesel. O compacto é equipado também com transmissão automática de seis marchas.
 
ESPELHO MÁGICO
A lista de conteúdos do C3 conta com itens como multimídia, direção elétrica, ar-condicionado digital, partida sem chave e uma série de outros equipamentos.

Um dos destaques é a câmera interna de alta definição, montada junto ao retrovisor, que permite gravar conteúdos de até 20 segundos. O equipamento ainda permite o compartilhamento em redes sociais. Mas para isso é preciso que o carro esteja parado.
 
DESIGN
A atual geração do C3 tem desenho que segue a identidade visual do C4 Cactus, como as molduras laterais batizadas de airbumps. Os elementos retangulares compõem o estilo do compacto, presentes nos faróis de neblina, no interior e até mesmo no teto. 
 
NO BRASIL
Por aqui, o Citroën C3 segue na mesma geração há oito anos. O modelo foi um dos precursores no segmento de hatches compactos num patamar acima dos populares, que se tornou o nicho padrão da atualidade com Polo, Yaris, 208, Argo, Onix e HB20. 

A nova geração do C3 é cotada para estrear por aqui. No entanto, ainda é incerto se ele será fabricado ou importado. Mas fato é que a PSA anunciou investimentos na planta de Porto Real (RJ), na ordem de R$ 220 milhões, que incluem a implementação da plataforma modular CMP, onde o modelo é feito.

Por hora, o que está confirmada é a nova geração do primo 208, que será produzido na unidade de El Palomar, na região metropolitana de Buenos Aires. O hatch do leão, inclusive, acabou de ser apresentado para um grupo de jornalistas brasileiros, que foi até a capital argentina.