O intercâmbio do futebol brasileiro com os outros países da América do Sul passou a ser muito grande neste século. O Atlético mesmo, em seu grupo atual, tem jogadores do Paraguai (Junior Alonso), Equador (Alan Franco), Colômbia (Dylan Borrero), Venezuela (Savarino) e agora Argentina (Zaracho). E o mais novo contratado chega com o desafio de repetir a história de dois compatriotas, Carlos Tévez e Darío Conca, únicos estrangeiros protagonistas em conquistas de títulos da Série A do Campeonato Brasileiro na Era dos Pontos Corridos.

Em 2005, Carlos Tévez, já uma realidade do Boca Juniors, tendo vencido inclusive a Copa Libertadores, foi a grande contratação do Corinthians, que tinha assinado uma parceria com a MSI, comandada pelo iraniano Kia Joorabchian.

Algumas coincidências ligam Tévez ao novo reforço atleticano. O atacante chegou ao Corinthians também jovem, ainda com 21 anos, e foi a maior contratação do clube paulista, pois custou US$ 16 milhões, segundo o jornal Clarín, embora a parceira corintiana tenha revelado que pagou US$ 22 milhões pelo jogador. O valor de Matías Zaracho, de 22 anos, é de US$ 12 milhões, pois o Galo pagou US$ 6 milhões em 50% dos seus direitos econômicos.

Na função em campo, o argentino mais próximo de Zaracho é Darío Conca, maestro do Fluminense campeão brasileiro de 2010, numa disputa acirrada com o Cruzeiro de Montillo.

Mas Conca não era uma promessa, pois já tinha 27 anos e chegado ao clube em 2008, como reforço para a disputa da Copa Libertadores após o título da Copa do Brasil em 2007.
 
BOLA DE OURO
A maior premiação individual do futebol brasileiro é a Bola de Prata, criada pela revista Placar, em 1970, e que hoje tem promoção da ESPN Brasil. Em todos os jogos do Brasileirão os jogadores recebem nota e são eleitos os melhores de cada posição.

Além disso, o dono da maior nota ao final da competição recebe a Bola de Ouro, o que significa que ele foi o melhor jogador da Série A do Campeonato Brasileiro.

Na Era dos Pontos Corridos, iniciada em 2003, apenas dois jogadores estrangeiros ganharam a Bola de Ouro da Placar. E eles são justamente os argentinos Carlos Tévez, em 2005, e Darío Conca, em 2010.

Vencer a premiação, que tem na liderança até agora Thiago Galhardo, do Internacional, pode não ser uma tarefa fácil para Zaracho, até pela adaptação que precisará não só ao futebol brasileiro, mas também ao esquema de jogo de Jorge Sampaoli.

Mas ser protagonista na conquista do título da Série A já basta à Massa, ainda mais empolgada com a possibilidade de quebra do jejum sem erguer a taça do Brasileirão após a confirmação da chegada da promessa argentina à Cidade do Galo.