“Da minha época, cresci vendo o Cláudio Taffarel. Era um goleiro sério, seguro, que sempre resolvia tudo com muita seriedade. Foi um goleiro que me marcou muito e logo passei a admirá-lo”. Foram com estas palavras que o venezuelano Rafael Dudamel, em entrevista concedida ao site Goal, em 2015, traduziu sua admiração pelo ex-arqueiro do Atlético e da Seleção Brasileira.

Desligado oficialmente do time “Vinotinto”, apelido do selecionado de seu país, Dudamel deve ser anunciado como novo comandante do Atlético nas próximas horas. A chegada à Cidade do Galo, inclusive, tem o aval do ídolo.

“Eu o encontrei na última partida em que enfrentamos a Seleção da Venezuela. Batemos um papo rápido. É um bom treinador e melhorou muito o padrão de jogo do time, revelando bons jogadores e não sendo mais aquela equipe ‘saco de pancadas’. Para jogar contra eles tem que atuar muito bem”, diz Taffarel ao Hoje em Dia.

“Espero que ele possa repetir este grande trabalho também no Atlético. É um grande clube, com um grande potencial. Torço muito por ele aí em Minas Gerais”, acrescenta o atual preparador de goleiros da Seleção Brasileira.

Pelo alvinegro, Taffarel fez 191 partidas, de 1995 a 1998. Contratado pelo clube quando havia acabado de conquistar a Copa do Mundo dos Estados Unidos, o tetra do time Canarinho, o gaúcho acumulou 105 vitórias, 44 empates e outras 42 derrotas, além de ter conquista do Mineiro de 1995, e as Copas Conmebol e Centenário, ambas em 1997.
 
DUDAMEL LIVRE
Por meio de uma carta aberta, Dudamel se despediu da Federação Venezuelana de Futebol e dos torcedores. Alegando não suportar mais o desgaste com alguns dirigentes, ele agradeceu pelo apoio recebido desde 2016, quando assumiu o comando técnico da seleção, e disse estar seguro de ter montado um time sólido e com um “norte” promissor para o futuro.

Conforme apurou a reportagem, o comandante deve desembarcar em Belo Horizonte no próximo domingo. No dia seguinte, ele assina os documentos necessários para sacramentar a contratação e segue para conhecer o Centro de Treinamentos, que passará a ser a sua nova casa nos próximos dois anos.

O primeiro contato do venezuelano com a diretoria aconteceu um dia antes da vinda de Jorge Sampaoli à capital mineira. Após quatro horas de conversa, ele caiu nas graças da cúpula e parece se encaixar no perfil desejado para o novo ciclo atleticano.