Em 15 dias a bola começa a rolar para o Campeonato Mineiro com o Uberlândia recebendo o Atlético, no Parque do Sabiá, em Uberlândia, e o Coimbra iniciando sua trajetória no Módulo I encarando a URT, no Independência. Será a largada para um Estadual que vale demais para os 12 participantes.

Os nove clubes do interior, e nessa lista entram Villa Nova, de Nova Lima, e Coimbra, de Contagem, cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte, tentam diminuir o desequilíbrio em relação à capital, que foi uma marca do Estadual do ano passado.

Isso porque Atlético, Cruzeiro e América não tiveram dificuldade em garantir, com antecedência, as três primeiras colocações da fase classificatória.
 
TRICAMPEONATO
Atual bicampeão mineiro, com os títulos de 2018 e 2019, o Cruzeiro entra na competição sem o favoritismo que carregava nas duas últimas edições da competição.

Vivendo a maior crise da sua história, com uma dívida superior aos R$ 700 milhões, a Raposa não investe para a temporada e ainda deve perder seus principais jogadores por não ter como pagar os salários milionários que reinavam na Toca II até a queda de Wagner Pires de Sá.

Com este cenário negativo, o Cruzeiro buscará neste Módulo I o primeiro tri mineiro do século. O máximo registrado a partir de 2001 foram seus dois bicampeonatos, em 2008 e 2009, e 2018 e 2019, e um do Atlético, em 2012 e 2013.
 
PRIMEIRO
A queda do rival à Série B do Brasileirão é ainda comemorada como um título pela torcida atleticana. Até a diretoria entrou na onda, com foguetório na sede e outras ações. Mas em 2020, Sérgio Sette Câmara e sua diretoria, que vivem o último ano do primeiro mandato, tentam acabar com um incômodo jejum, pois ainda não viram o time principal do Galo erguer uma taça.

Em matéria de 29 de outubro do ano passado, o Hoje em Dia mostrou que há 50 anos um presidente não passa pelo Atlético sem ganhar pelo menos um título oficial. O último foi Carlos Alberto Naves, em 1968 e 1969. O Campeonato Mineiro é a primeira chance que Sette Câmara tem de impedir a repetição deste fato.

Até porque, o Atlético entra como favorito absoluto ao título, pois é o único time da Série A na competição e terá um investimento muito superior ao dos concorrentes, inclusive o rival Cruzeiro.
 
AFIRMAÇÃO
Para o América, a conquista do Campeonato Mineiro teria a marca da afirmação do técnico Felipe Conceição.

Depois do grande trabalho feito na Série B do ano passado, quando pegou o time na lanterna e por um ponto não o levou ao acesso, vencer o Estadual seria a indicação de que o Coelho encontrou seu caminho.

Objetivos não faltam. Resta saber qual dos 12 clubes construirá o enredo vencedor no Módulo I do Campeonato Mineiro de 2020.