Em 11 de julho de 2016, o atacante Rafael Sóbis começou sua história no Cruzeiro e o objetivo principal era livrar o clube do rebaixamento à Série B. Sob o comando do português Paulo Bento, após um início de temporada ruim com o hoje diretor de futebol Deivid como treinador, a Raposa perdeu por 3 a 0 para o Athletico-PR, no Mineirão, pela 14ª rodada, e figurava apenas na 15ª colocação do Brasileirão, com os mesmos 15 pontos do Figueirense, que era 17º e abria o Z-4. Pouco mais de quatro anos depois, ele retorna à Toca II. Mas a tarefa é bem diferente, e mais difícil: devolver o clube à elite do futebol nacional.

A tarefa de 2016 foi cumprida e, nos dois anos seguintes, Sóbis colocou seu nome na história cruzeirense, pois participou das campanhas do bicampeonato em sequência da Copa do Brasil, sendo titular absoluto e artilheiro do time e da competição, esta condição dividida com Léo Gamalho (Goiás) e Lucas Barrios (Grêmio), em 2017.

Num momento em que o Cruzeiro está na mesma 15ª colocação de 2016, mas da Segunda Divisão, o atacante, a pedido do técnico Luiz Felipe Scolari, retorna à Toca da Raposa II para participar da briga mais acirrada do grupo celeste, que é justamente no ataque.

O clube contratou recentemente Willian Potker, do Internacional, tem Arthur Caíke, além dos garotos Airton e Welinton, que vivem bons momentos. Isso para jogar pelo lado do campo.

Sóbis pode também atuar centralizado, função que exerceu com Mano Menezes, em 2017, aí a concorrência é com Marcelo Moreno, o titular de Felipão, Sassá e Thiago, pois Zé Eduardo está sendo novamente emprestado ao América-RN.

Na sua despedida da torcida do Ceará, clube que estava defendendo, o novo atacante cruzeirense revelou que acredita ser este retorno ao Cruzeiro o maior desafio da sua vida.

E Rafael Sóbis está correto. A campanha de recuperação do Cruzeiro na Série B é muito difícil, mas se ele conseguir, assim como em 2016, cumprir o objetivo que o trouxe pela primeira vez à Toca da Raposa II, subirá muitas posições na galeria da história cruzeirense.

Para isso, tudo o que precisa é de uma estreia diferente, pois ele já deve jogar contra o Figueirense, na próxima sexta-feira (20), às 21h30, no Mineirão, pela 22ª rodada, pois vinha atuando pelo Ceará. E o Cruzeiro entra em campo com a obrigação de vencer os catarinenses.