O goleiro Rafael, que retorna ao gol do Atlético diante do Tombense, nesta quinta-feira, às 21h, no Estádio Antônio Guimarães de Almeida, em confronto pela segunda rodada do Campeonato Mineiro, inicia sua participação na competição de forma mais efetiva em busca de duas marcas históricas: ele pode ser o maior vencedor do Estadual no século e também o dono da maior sequência de títulos.

E essas possibilidades acontecem num momento em que ele volta a brigar pela titularidade, pois Everson era o preferido de Jorge Sampaoli por ter melhor aproveitamento jogando com os pés. Agora, com a troca do comando, com Cuca provavelmente retornando à Cidade do Galo, isso não aparece como grande diferencial e Rafael, o preferido de grande parte da torcida atleticana, tem a chance de retornar ao gol alvinegro.

O jogador com mais títulos do Campeonato Mineiro a partir de 2001 é Fábio, do Cruzeiro, que levantou a taça em 2006, 2008, 2009, 2011, 2014, 2018 e 2019. Nas últimas seis conquistas, ele tinha exatamente Rafael como seu reserva e com participações em várias campanhas, principalmente por causa de jogos da Raposa na Copa Libertadores, com o treinador optando por escalar uma equipe alternativa para poupar jogadores.

Além dessa meia dúzia de títulos conquistados nos seus tempos de Toca da Raposa II, Rafael foi campeão mineiro em 2020, pelo Atlético, como titular da equipe que fez a decisão justamente contra o Tombense, adversário desta quinta-feira. Com isso, empatou com Fábio, com sete taças para cada.

A final do Estadual de 2020 foi apenas em agosto do ano passado, quando o Brasileirão já tinha cinco rodadas disputadas, por causa das alterações no calendário pela pandemia, e naquele momento Rafael vivia seu melhor momento no Galo de Sampaoli. Apesar do ótimo desempenho do goleiro titular, logo em seguida chegou ao clube Everson, a pedido do comandante argentino.
 
SEQUÊNCIA
Além de igualar Fábio com o título do Campeonato Mineiro de 2020, Rafael chegou às três taças em sequência, recorde do centroavante Fred neste século, pois ele venceu a competição em 2017, pelo Atlético, e em 2018 e 2019 pelo Cruzeiro.

Assim, o Estadual de 2021 tem um sabor todo especial para Rafael. Ele pode ser o jogador com o maior número de títulos do Campeonato Mineiro neste século, o maior vencedor do torneio em sequência no período e ainda recuperar a titularidade do gol alvinegro com a troca de comando na Cidade do Galo.

E a busca de todos esses objetivos começa nesta quinta-feira, diante do Tombense, às 21h, no Almeidão.