Atlético e Cruzeiro iniciam no próximo sábado as participações na Série A do Campeonato Brasileiro em busca de uma dobradinha de vitórias que os rivais ainda não conseguiram na competição, nesta década, na primeira rodada.

A última vez que atleticanos e cruzeirenses iniciaram as participações no Brasileirão com os dois vencendo foi em 2010. O Galo, que tinha acabado de ser campeão mineiro numa decisão com o Ipatinga, fez 2 a 1 no Vasco, no Mineirão. O Cruzeiro, ainda sob o comando de Adilson Batista, que cairia logo depois para a chegada de Cuca, bateu o Internacional, no Beira-Rio, pelo mesmo placar.

Além de derrubar essa escrita, iniciar o Campeonato Brasileiro bem pode apagar o início ruim do ano passado, quando o Cruzeiro foi derrotado por 1 a 0 pelo Grêmio, no Mineirão, na partida que abriu a competição menos de uma semana após o título mineiro, com um 2 a 0 sobre o Atlético, que viu sua crise aumentar com a derrota de 2 a 1, de virada, para o Vasco, em São Januário.

O curioso desta partida é que o vilão atleticano foi o atacante Roger Guedes, que errou um passe num contra-ataque no nascimento da jogada do gol da virada vascaína. Logo depois ele virou o protagonista da arrancada do Atlético antes da paralisação do Campeonato Brasileiro por causa da Copa do Mundo da Rússia.

A trajetória dos dois mineiros, que começa neste sábado, terá o Galo recebendo o Avaí, às 19h, no Independência, e a Raposa fazendo o principal jogo da primeira rodada da Série A de 2019 encarando o Flamengo, às 21h, no Maracanã.
 
BOA IMPRESSÃO
Em 2017, a dobradinha por pouco não aconteceu. Logo depois de ser campeão mineiro sobre o Cruzeiro, o Atlético participou da festa de abertura do Brasileirão encarando o Flamengo, no Maracanã. O time, ainda comandado por Roger Machado, foi superior ao adversário, que saiu na frente no placar, e só não chegou à virada porque o zagueiro Rafael Vaz por duas vezes salvou gols atleticanos em cima da linha.

Em crise, pois tinha perdido o Estadual para o maior rival e três dias depois amargou a eliminação da Copa Sul-Americana, ainda na primeira fase, nos pênaltis, diante do Nacional do Paraguai, o Cruzeiro iniciou a caminhada na Série A fazendo 1 a 0 no São Paulo, no Gigante da Pampulha, com um gol do centroavante Ramón Ábila, que logo depois seria negociado com o Boca Juniors, da Argentina.
 
LONGE DE CASA
Uma marca das últimas estreias de Atlético e Cruzeiro no Campeonato Brasileiro tem sido jogar fora dos estádios onde estão acostumados a mandar as suas partidas por causa de obras nos locais, ocupação dos mesmos por outras competições ou até mesmo punições do Superior Tribunal de Justiça Desportiva.

Em 2011, o Galo recebeu o Atheltico-PR na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, porque Mineirão e Independência estavam fechados para obras visando as Copas das Confederações (2013) e do Mundo (2014). No ano seguinte, a Raposa encarou o Atlético-GO no Parque do Sabiá, em Uberlândia, pagando punição imposta pelo STJD por problemas provocados pela torcida na última rodada do ano anterior, quando fez 6 a 1 no Atlético e evitou o rebaixamento à Série B.

Em 2013, o Cruzeiro fez 5 a 0 no Goiás no Independência, e não no Mineirão, porque o Gigante da Pampulha já estava entregue à Fifa para a Copa das Confederações. O Atlético cumpriu na primeira rodada de 2014, diante do Corinthians, no Parque do Sabiá, punição imposta pelo STJD pelos incidentes do clássico do returno de 2013, contra a Raposa, no Horto, quando aconteceu uma briga generalizada na torcida cruzeirense. O Galo foi responsabilizado por ser o mandante.

A última estreia longe de casa foi mais uma vez do Cruzeiro. Em 2015, punido pelo STJD mais uma vez, por causa de problemas no clássico contra o Atlético, no returno d 2014, o clube “vendeu” seu mando a um grupo de empresários e encarou o Corinthians na Arena Pantanal, em Cuiabá, estádio que no ano anterior tinha recebido partidas pela Copa do Mundo.

Agora, em 2019, a intenção do Atlético era encarar o Avaí, no próximo sábado, no Mineirão, e a partida chegou a ser marcada para o Gigante da Pampulha pela CBF. Mas como o estádio terá eventos na mesma data, o confronto voltou para o Independência.