Em 2 de fevereiro de 2005, Fábio disputava sua primeira partida pelo Cruzeiro na Copa do Brasil. A vitória por 1 a 0 sobre o Sergipe, em Aracaju, pela primeira fase, aconteceu quando já carregava no currículo o título de 2000, sem jogar, pois era reserva de André.

Nesta quinta-feira, ele entra em campo com a camisa celeste pela 74ª vez em confrontos pela competição para encarar o São Raimundo-RR, às 19h15 (de Brasília), no Estádio Canarinho, em Boa Vista, no início da caminhada cruzeirense na edição de 2021.

Assim como no ano passado, fruto da destruição do clube pelas últimas diretorias, o Cruzeiro, maior campeão da Copa do Brasil com seis títulos (1993, 1996, 2000, 2003, 2017 e 2018), entra em campo como coadjuvante, pois apesar da história no torneio está longe de integrar a lista dos favoritos.

E essa situação evidencia o “casamento” de Fábio com o Cruzeiro, pois ele foi um símbolo dos tempos de alegria, como no inédito bi em sequência de 2017 e 2018, mas já vai para segunda edição seguida integrando um time de nível técnico bem abaixo do que a Raposa está acostumada a apresentar na competição.
 
NÚMEROS
Desde aquele 2 de fevereiro de 2005, o Cruzeiro disputou 86 dos seus 166 jogos na Copa do Brasil. Fábio esteve em campo 73 vezes (85%), ficando de fora apenas em parte das edições de 2016 e 2017, quando estava machucado e Rafael, hoje no Atlético, foi seu substituto. Das 24 participações cruzeirenses no torneio, 13 delas, considerando a de 2000, quando ele não jogou, tiveram o goleiro como atleta cruzeirense. Foram 12 como titular.

O brilho nas disputas de pênaltis em 2017 e 2018 mudaram o ídolo de patamar dentro do clube, com desempenho decisivo, como na conquista do título diante do Flamengo, ou impressionante, pois contra o Santos defendeu as três cobranças dos paulistas e a Raposa venceu por 3 a 0.

A realidade agora é bem diferente. Pensar em título é mais que sonho, mas uma boa campanha é fundamental, até pelas boas cotas pagas na Copa do Brasil. E para isso, o Cruzeiro confia como nunca no especialista Fábio.