Medalhistas do Indyu encorajam colegas a disputar olimpíada

Lavínia Borges e Wander Mendes conquistaram o ouro na competição realizada em 2021

Leonardo Queiroz
07/06/2022 às 00:03.
Atualizado em 07/06/2022 às 15:06
Lavínia e Wander se surpreenderam com resultado e dizem estar realizados (colégio indyu/divulgação)

Lavínia e Wander se surpreenderam com resultado e dizem estar realizados (colégio indyu/divulgação)

Depois de ter uma dupla campeã na Olimpíada Nacional de Ciências em 2021, o Colégio Indyu vem dando apoio a diversos alunos que pretendem participar da competição neste ano. Os estudantes ficaram mais animados com a medalha de ouro conquistada pelos alunos Lavínia Freitas Borges e Wander Emanuel Souza Mendes, do 8º ano do ensino fundamental do colégio.

Na última semana, as medalhas chegaram a Montes Claros e o Indyu realizou uma cerimônia de entrega aos estudantes vencedores, que levaram o nome da cidade e da escola ao reconhecimento nacional.

Um dos gestores do Colégio Indyu, o professor William Borges destaca a participação dos alunos. “Ambos têm diferentes habilidades, mas o colégio estimula os alunos a testá-las. Temos o dever de promover um ensino de qualidade e uma das nossas responsabilidades enquanto instituição de ensino é fomentar o conhecimento pelo prazer de aprender, e as olimpíadas permitem tal situação e a imposição cede lugar ao estímulo”, afirma.

William ressalta que a equipe multidisciplinar do colégio mostra aos alunos que, mesmo morando em uma cidade que não é tão grande, eles podem competir de igual para igual com alunos de todo o país e serem destaques. “O mais interessante é que nossos alunos assumem o compromisso de participar sem nenhuma imposição, pelo simples propósito de se testarem”, afirma o diretor.

SEM PRESSÃO
A medalhista Lavínia Freitas, filha dos diretores da escola William Borges e Gabrielle Mourão, diz que o fato de os pais serem educadores não pesa nas decisões, não significa pressão, pelo contrário, é sinal de incentivo e motivação.

“Foi uma grande surpresa ser classificada e ainda mais conquistar a medalha de ouro. Quando assumi o compromisso de participar eu me empenhei bastante”, conta Lavínia.

Para Wander Mendes, conquistar a medalha de ouro foi uma alegria enorme. “Me esforcei bastante e me empenhei nos estudos, mas pela medalha de ouro eu não esperava. O apoio da escola e da minha mãe foram fundamentais. Só contei a ela que estava participando depois que já havia feito a inscrição. Estou muito feliz e motivado a me dedicar ainda mais aos estudos e participar das próximas olimpíadas”, conta.
 
PRÓXIMA EDIÇÃO 
Neste ano, a Olimpíada Nacional de Ciências acontecerá no segundo semestre: a primeira fase será entre 18 e 20 de agosto (prova on-line) e a segunda em 9 e 10 de setembro, também com prova on-line. A premiação será em 27 de outubro. Diversos alunos do Indyu já estão se preparando para a edição deste ano. 

A Olimpíada Nacional de Ciências (ONC) tem como objetivo fomentar o interesse dos alunos pelas ciências naturais. Dessa forma, ao buscar desafiar os estudantes, a competição apresenta questões caracterizadas pela interdisciplinaridade: em um mesmo problema é possível envolver conhecimentos de Astronomia, Biologia, Física, História e Química.

Compartilhar
Logotipo O NorteLogotipo O Norte
E-MAIL:jornalismo@onorte.net
ENDEREÇO:Rua Justino CâmaraCentro - Montes Claros - MGCEP: 39400-010
O Norte© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por