“O time só atinge o favoritismo de ser campeão quando ultrapassa os 50% de probabilidades. Entre os primeiros colocados do Brasileirão deste ano, não há nenhum favorito. Na virada do turno, quem tem mais chances (São Paulo, com 29%) aparece quase que com a metade do limiar padrão para o favoritismo”. A afirmação é do professor Gilcione Nonato da Costa, um dos responsáveis pelo site Probabilidades no Futebol, mantido pelo Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e que garante ser a Série A de 2020 a mais equilibrada dos pontos corridos neste ponto em que se encontra a competição.

“Lembro de algo parecido em 2009, quando Atlético, Flamengo, Internacional e Palmeiras brigaram pelo título em grande parte da competição. Mas agora temos o dobro, ou quase o dobro de clubes buscando a primeira posição. Podemos dizer que, hoje, sete times têm chances reais”, garante Gilcione.

O equilíbrio, somando ao fator jogos atrasados, por causa do calendário apertado provocado pela pandemia, faz com que após a primeira rodada do returno, a 20ª de 38, o líder Internacional seja apenas o quarto colocado quando se recorre às probabilidades de título.

Neste ranking, o São Paulo, que é quarto colocado, mas tem três jogos atrasados, é o primeiro, com 29%. A segunda posição é do Atlético, reflexo da goleada de 4 a 0 sobre o Flamengo, no último domingo, no Mineirão. O rubro-negro carioca aparece em terceiro, com 13,5% e só aí vem o Colorado, com 13,2%.

O grupo de clubes que podem sonhar com a taça, segundo Gilcione, tem ainda Fluminense (6,9%), Grêmio (6,7%), Palmeiras (5,5%) e Santos (3,35%), sendo que gremistas e palmeirenses têm um jogo a menos.
 
JOGOS ADIADOS
Neste momento, apenas seis pontos separam o Grêmio, que é oitavo colocado da Série A do Campeonato Brasileiro, do seu maior rival, o Internacional, que lidera a competição com 36. Dentro deste G-8, quatro clubes têm jogos a menos, a começar pelo vice-líder Atlético, que no próximo dia 18 vai pagar esta partida recebendo o Athletico-PR, no Mineirão, em confronto adiado da 6ª rodada, por causa da decisão do Estadual.

O quarto São Paulo encara o Ceará, dia 25, no Castelão, em Fortaleza; o Goiás, dia 3 de dezembro, na Serrinha, em Goiânia; e o Botafogo, em 9 de dezembro, no Morumbi.

Galo e Tricolor brigam ainda pelo título do turno. O time de Jorge Sampaoli, se vencer o Furacão, chegará a 35 pontos e 11 vitórias. A equipe de Fernando Diniz pode alcançar 39 pontos, mas ganhar duas das três partidas adiadas já é suficiente para “conquistar” a primeira metade da Série A.

Atualmente, o “campeão” do turno é o Internacional, com 35 pontos, 10 vitórias e 14 gols de saldo. Em dez das 14 edições do Brasileirão por pontos corridos, com 20 clubes, quem terminou as primeiras 19 rodadas na frente levantou a taça.
 
INSTABILIDADE
Usando a parte técnica para explicar a matemática, Gilcione revela que o equilíbrio do Brasileirão 2020 é provocado, principalmente, pela instabilidade dos times que ocupam a ponta da tabela de classificação.

“Quando você tem dois times que ganham muito, como acontece quase sempre na Espanha, por exemplo, com Real Madrid e Barcelona, você tem uma pontuação alta na ponta e um achatamento abaixo. Nesta Série A, temos times muito instáveis. Ninguém consegue desgarrar, por um motivo ou por outro. No caso do Atlético, por exemplo, era para ele ter uma pontuação muito maior, pois deixou de pontuar em confrontos onde tinha grande favoritismo. E isso acontece com Internacional, Flamengo, São Paulo, Palmeiras, com quase todos ali da frente”, explica o professor da UFMG.

Com base nos números atuais, a partir de 65 já existem chances de um clube ser campeão da Série A 2020, pois com esta pontuação a probabilidade já ultrapassa os 50%, sendo de 59,26%.

O pior campeão brasileiro dos pontos corridos com 20 clubes foi justamente o Flamengo, em 2009, ano citado por Gilcione como parecido com o que acontece até agora.

O rubro-negro carioca levantou a taça marcando 67 pontos, contra 66 do Internacional. Só como comparação, nos dois últimos anos, o terceiro colocado do Campeonato Brasileiro marcou mais que 67 pontos.

No ano passado, o Palmeiras ficou nesta posição chegando aos mesmos 74 pontos do vice-campeão Santos, que levou a melhor no número de vitórias (22 a 21).

Com os 74 pontos alcançados pela dupla paulista em 2019, as chances de título em 2020 são de 99,72%. É praticamente a garantia da taça.

O impressionante é que a projeção do aproveitamento do São Paulo (64,7%), o melhor desta Série A, dá 74 pontos. O do Atlético (61,4%), o segundo neste critério, dá 70.

Isso indica que, com base nos números atuais, 71 pontos seriam suficientes para um clube ser campeão brasileiro de 2020. Quem alcançar esta marca tem, segundo os dados da UFMG, 97,7% de chances de ser o campeão.