Flamengo e River Plate disputam neste sábado, às 17h (de Brasília), no Estádio Monumental, em Lima, a final da Copa Libertadores de 2019, a primeira em jogo único. Será o 15º confronto entre brasileiros e argentinos pela decisão do principal torneio de clubes da América, numa história em que nossos hermanos levam grande vantagem.

Vencedor do primeiro confronto, em 1963, na quarta edição do torneio, quando o Santos, de Pelé, bateu o Boca Juniors, este foi o único momento em que o Brasil esteve à frente da Argentina nessa disputa particular entre as duas grandes forças do futebol sul-americano.

Com as taças de 1968, do Estudiantes, sobre o Palmeiras, e de 1974, do Independiente, que superou o São Paulo, os argentinos tomaram a frente nessa disputa, que ficou empata em 1976, quando o River Plate, adversário do Flamengo neste sábado, perdeu a única final que disputou contra brasileiros sendo derrotado pelo Cruzeiro.

Após ser goleado por 4 a 1, na primeira partida, no Mineirão, o time Millonarios venceu por 2 a 1, no Monumental de Núñez, em Buenos Aires, e forçou a terceira partida. Ela foi disputada no Estádio Nacional, em Santiago, e o Cruzeiro garantiu a taça ganhando por 3 a 2.

A partir de 1977, começa a arrancada dos argentinos, que têm quase o dobro de títulos brasileiros nas finais entre os dois países, pois neste momento o placar é de 9 a 5 para eles. Naquele ano, o Cruzeiro brigou pelo bicampeonato diante do Boca Juniors. Após cada equipe vencer em casa por 1 a 0, o jogo desempate aconteceu no Estádio Centenário, em Montevidéu. Com o empate por 0 a 0 no tempo normal e prorrogação, foi necessária a primeira disputa de pênaltis entre brasileiros e argentinos numa decisão de Libertadores, com a equipe xeineze levando a melhor e fazendo 5 a 4.
 
HEGEMONIA
A maior hegemonia de um país nas decisões entre Brasil e Argentina na Libertadores foi decretada nos anos 1990 e na primeira década deste século, com os argentinos vencendo cinco finais consecutivas sobre brasileiros, nas edições de 1994, 2000, 2003, 2007 e 2009, sendo que neste ano o Cruzeiro foi o derrotado, perdendo a taça para o Estudiantes, dentro do Mineirão, com uma derrota por 2 a 1, de virada, após empate sem gols na ida, em La Plata.

Neste período, o grande carrasco brasileiro foi o Boca Juniors, que superou três brasileiros, vencendo o Palmeiras, em 2000; o Santos, em 2003; e o Grêmio, em 2007.

O futebol brasileiro vive seu melhor momento nesta briga particular com o argentino, pois venceu as duas últimas finais. O Corinthians bateu o Boca Juniors, em 2012; e o Grêmio superou o Lanús, em 2017. Agora, o Flamengo busca a trinca diante do River Plate, que na sua única decisão de Libertadores contra um clube do Brasil foi derrotado, em 1976, pelo Cruzeiro.