A péssima atuação do Cruzeiro na Série B do Campeonato Brasileiro não está mais sendo tolerada pelos torcedores do clube celeste. Na manhã de ontem, integrantes de torcidas organizadas invadiram a Toca da Raposa II.

Além dos seguranças do time, a Polícia Militar foi acionada para retirar os invasores do centro de treinamento. Vídeos que circulam nas redes sociais mostram torcedores discutindo com os policiais. O grupo de manifestantes cobra um posicionamento do elenco e uma recuperação do time na competição. Apesar do confronto verbal entre torcedores, membros do time e policiais, não houve registro de violência física no local.

Após a retirada dos manifestantes, o Cruzeiro disse que repudia e reprova atos de violência. “Os protestos de torcedores são respeitados e considerados legítimos pela diretoria do Cruzeiro, desde que sejam pacíficos e não da forma como ocorreu hoje”, afirmou o clube em nota.

“Quebrar a porta do CT (centro de treinamento) ou de qualquer sede do clube e intimidar funcionários que trabalham de forma séria e comprometida nunca serão as melhores saídas para a recuperação do Cruzeiro”, complementou.
 
DESEMPENHO FRACO
Com apenas 11 pontos conquistados na Série B do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro ocupa a 17ª posição e, atualmente, está na zona de rebaixamento para a Série C da competição.

O próximo confronto do time será hoje contra o Sampaio Corrêa. A partida vai ocorrer no Mineirão, a partir das 18h30. Mas, antes mesmo de o time entrar em campo, e talvez mostrar alguma reação, outro protesto foi marcado pelos torcedores.

Nas redes sociais, cruzeirenses convocaram um ato para as 17h de ontem, em frente à sede no Barro Preto, onde ocorreria a cerimônia que confirma Sérgio Rodrigues, atual presidente do clube, como mandatário no triênio 2021-2023. Por ser chapa única, ele não tem concorrentes.