Para quem prefere ver o “copo meio vazio”, o Atlético está perdendo o Brasileiro para ele mesmo, após desperdiçar pontos com equipes da parte de baixo da tabela. Mas àqueles adeptos da máxima do “copo meio cheio”, ainda há esperança de levantar o troféu nacional, e o time segue no encalço do Inter. 

Para o Alvinegro tirar a diferença de cinco pontos que o separa do líder, não há outra saída senão ganhar seus cinco últimos desafios (além de contar com, no mínimo, dois tropeços do Colorado), o que significaria igualar uma marca histórica.

Embalado pelos triunfos sobre Santos e Fortaleza, o Galo anseia levar a melhor em cima de Goiás (3/2, na Serrinha), Fluminense (10/2, no Maracanã), Bahia (13/2, no Mineirão), Sport (21/2, na Ilha do Retiro) e Palmeiras (24/2, no Mineirão).

Se isso acontecer, os comandados de Sampaoli chegarão a sete vitórias consecutivas, que é justamente a maior série do clube, nesse sentido, na Era dos Pontos Corridos da Série A.

Somente uma vez o Atlético obteve este feito. Em 2012, o esquadrão de Ronaldinho Gaúcho, Victor e companhia conquistaram sete triunfos seguidos: Náutico (5 a 1), Grêmio (1 a 0), Portuguesa (2 a 0), Figueirense (4 a 3), Internacional (3 a 1), Sport (4 a 1) e Santos (2 a 0).

Depois disso, o máximo que o Alvinegro conseguiu numa edição de Brasileiro foram seis vitórias em sequência, em 2015, quando bateu Flamengo (2 a 0), Joinville (1 a 0), Coritiba (2 a 0), Inter (3 a 1), Sport (2 a 1) e Ponte Preta (2 a 0). Nessas duas edições, o Galo foi vice-campeão. 

O Atlético 2020/21 tentará igualar o recorde de 2012, mas sem igualar seu desfecho. “Nós, jogadores, sabemos da nossa qualidade e mostramos isso nos últimos dois duelos. É jogar com vontade, sempre em busca da vitória. É isso que o torcedor quer. Precisamos manter a regularidade e não tomar gol. Nosso ataque é qualificado e cria muito. Se sustentarmos a marcação, vamos estar mais perto da vitória”, enfatizou o lateral-esquerdo Guilherme Arana.
 
MAIORES SÉRIES
Se na Era dos Pontos Corridos a maior série de triunfos do Atlético foi em 2012, em toda a história da competição o recorde da equipe vai para as campanhas de 1977 e 1986, quando o time teve oito seguidos.

Em 1977, venceu, de forma consecutiva, Remo (4 a 1), Santos (3 a 0), Botafogo-SP (1 a 0), Nacional-AM (4 a 2), Paysandu (3 a 1), Cruzeiro (1 a 0), Fast Club-AM (6 a 2) e América (3 a 1). Terminou com o vice-campeonato. 

Em 1986, repetiu a dose: Portuguesa (2 a 1), Comercial-SP (2 a 1), Fortaleza (4 a 0), Botafogo (4 a 2), Rio Branco-ES (1 a 0), Ceará (2 a 0), Nacional-AM (1 a 0) e Internacional (1 a 0). Fechou a competição em terceiro lugar.