Antes unanimidade, hoje motivo de discordância entre os torcedores do Atlético. Esta é a realidade de um dos atacantes que mais marcaram a história recente do alvinegro. Aos 34 anos e de contrato rescindido com o Grêmio, Diego Tardelli volta à pauta da Massa e, para alguns, seria a cereja do bolo na versão 2020 do Galo. Para outros, dinheiro mal investido.

Logo que o Tricolor Gaúcho oficializou o fim do vínculo com o jogador, o assunto tomou conta das redes sociais. Durante a manhã, tarde e noite de ontem torcedores do Atlético discutiam se valeria ou não a pena que ele voltasse à pauta da diretoria e fosse anunciado como o tão esperado “homem-gol”.

Sem sucesso no Sul do país em 2019, Tardelli não conquistou os gaúchos. Muito pelo contrário. Nos 47 jogos em que esteve em campo, muitos deles sendo acionado com a bola já rolando, fez apenas sete gols. Bastante questionado pela mídia e também pelos torcedores, não escondeu a frustração por não ter correspondido às expectativas.
 
ANOS ANTERIORES
Contratado junto ao Shandong Luneng, da China, e com vencimentos que extrapolavam a casa de R$ 1 milhão, o atacante deixou para trás os ótimos números apresentados na Ásia.

Para se ter ideia, em 2018 ele anotou 20 gols em 28 partidas. Em 2017, foram 15 tentos em 18 duelos disputados. 

Na penúltima vez em que esteve em gramados brasileiros, quando ainda defendia o Atlético, Tardelli deixou sua marca 15 vezes: foram 50 confrontos realizados em 2014, antes de se despedir da torcida alegando buscar sua “independência financeira”. 

Este termo, inclusive, ainda é bastante utilizado por aqueles que não desejam o retorno do atacante para se tornar opção na equipe comandada pelo venezuelano Rafael Dudamel. O fato de ter preferido o Grêmio ao Galo também pesa bastante para os resistentes.

Por outro lado, existem também aqueles que guardam na memória o quão o “homem da metralhadora” foi importante na história recente do clube alvinegro. Desde sua primeira passagem, em 2009, ele acumula 219 partidas e 110 gols, o que representa cerca de um gol a cada dois jogos disputados.

Em relação a voltas olímpicas, conquistou o Campeonato Mineiro de 2010 e 2013, a Copa Libertadores de 2013 e a Recopa Sul-Americana e a Copa do Brasil do ano seguinte. 

Apesar do assunto, a notícia é que, ao menos por enquanto, o Atlético não procurou o atleta. A ver.