Após as vaias na estreia contra a Bolívia, os irônicos gritos de “olé” quando a Venezuela pegava na bola e o chocolate aplicado sobre o Peru, a Seleção Brasileira segue sua saga na Copa América hoje, às 21h30, na Arena do Grêmio, pelas quartas de final. Pela frente, o Paraguai, que, historicamente, é o principal oponente dos brasucas, considerando as edições da competição que tiveram o Brasil como sede.

Das quatro ocasiões anteriores em que o país abrigou o torneio, em três delas a equipe canarinho decidiu o título ante La Albirroja. Em duas, os brasucas passearam.

Em 1922, aplicaram 3 a 0 no chamado “jogo de desempate” – que funcionava como final, após dois times terminarem o certame empatados em número de pontos –, e em 1949, ocorreu uma humilhação traduzida em 7 a 0. Houve ainda um quadrangular final, no qual a Seleção, mais uma vez, se sobressaiu perante os paraguaios – o vice acabou no colo do Uruguai.

Tendo como base o retrospecto em Copas Américas, o Paraguai é o segundo time que o Brasil mais enfrentou. Foram 30 embates, com ampla vantagem tupiniquim (confira no quadro ao lado) – a Argentina é a primeira nesse sentido, com 32 partidas contra o time verde-amarelo.

Por outro lado, essa superioridade brasileira não foi traduzida nas quartas de final de 2011 e 2015, quando os paraguaios venceram o time verde-amarelo na disputa de pênaltis.