Ele retornou em fevereiro ao Atlético, clube pelo qual guarda carinho especial, para sua terceira passagem. Se seria difícil esperar o mesmo protagonismo mostrado como parte do quadrado mágico (com Ronaldinho Gaúcho, Bernard e Jô) que marcou a conquista da Libertadores de 2013, certamente tem papel importante no grupo do técnico Jorge Sampaoli. 

Nesse retorno, teve a chance de atuar por apenas 20 minutos, na vitória sobre o Cruzeiro (2 x 1), pela oitava rodada em 7 de março. E agora vai viver seu maior período de afastamento dos gramados como profissional. Operado nesta quinta-feira no Hospital Mater-Dei para a correção de uma fratura-luxação no tornozelo direito – sofrida durante o jogo-treino da véspera, com o América –, Diego Tardelli só deve voltar a atuar em 2021. Informação confirmada pelo presidente Sérgio Sette Câmara no programa Alterosa Esporte.

Um duro golpe para quem, em 17 anos de carreira, só havia sofrido uma lesão mais séria: no braço, em 2008, quando defendia o Flamengo (sofrida numa partida com o Cruzeiro). Na época, foram quatro meses sem jogar. Agora serão pelo menos seis. O atacante disputou sua última partida completa em 3 de novembro do ano passado, ainda pelo Grêmio – 2 a 0 sobre o Internacional, pelo Campeonato Brasileiro.

O médico Rodrigo Lasmar detalhou a extensão da contusão, que envolveu três áreas distintas da perna direita. Falou ainda sobre o processo de recuperação. “Correu tudo bem, conforme o planejado. Ele tinha uma fratura na fíbula, uma ruptura dos ligamentos do tornozelo e uma lesão na cartilagem do tálus. Foi feito um procedimento cirúrgico para correção dessas lesões e, agora, iniciamos o procedimento de recuperação. Dentro de alguns dias, ele terá condições de ir para o CT fazer a fisioterapia. Será um procedimento intensivo para que ele se recupere o mais rápido possível”, disse o médico do clube.
 
FORÇA
Pelas redes sociais, Tardelli agradeceu as manifestações de carinho da torcida alvinegra, e se apegou no histórico de poucos problemas para encarar a recuperação. “Quero agradecer o carinho de todos, o tanto de mensagens que recebi e venho recebendo. Claro que estou triste, mas o que me conforta é saber que, em 17, 18 anos de carreira, tive apenas duas lesões graves, uma no braço e essa agora no tornozelo. Daqui a pouco, vou voltar mais forte”, disse.