O discurso do técnico Luiz Felipe Scolari é pessimista, ainda relacionado à fuga do rebaixamento, o futebol apresentado pelo seu time não empolga, mas mesmo assim o cruzeirense sonha com o retorno à Série A do Campeonato Brasileiro na próxima temporada. 

Para isso, a Raposa vai precisar de algo que ainda não conseguiu nesta Série B: uma sequência de vitórias. E mais uma tentativa será iniciada hoje, diante do Vitória, às 21h30, no Barradão em Salvador, pela 28ª rodada.

Na 11ª colocação, com 35 pontos e 5,4% de chances de acesso, contra 1,1% de rebaixamento, segundo o site Probabilidades no Futebol, mantido pelo Departamento de Matemática da UFMG, o Cruzeiro não volta à elite sem vencer, pelo menos, oito das 11 partidas que ainda disputará na Série B do Campeonato Brasileiro.

Pelos cálculos da UFMG, com 59 pontos, que é a marca atingida pelo Cruzeiro caso ele vença oito dos 11 jogos finais, já são de 62,6% as chances de uma equipe alcançar a elite.

Com nove vitórias, a pontuação alcançada é 62 e a volta à elite quase uma certeza, pois as probabilidades são de 97%.

Além da esperança da torcida, há outra ainda mais relevante, para o futuro do clube, que é a financeira. As cotas de televisão da Série A são mais de dez vezes maiores e, pela crise vivida, para o Cruzeiro, seguir na Segundona será uma tragédia.

Independentemente de serem necessárias oito ou nove vitórias, elas só serão conseguidas se o time alcançar uma sequência de jogos buscando os três pontos.

A maior até agora foi justamente no início da Série B, nas três primeiras rodadas, quando a dívida de seis pontos, uma punição imposta pela Fifa, foi paga.

Matematicamente, até existe a possibilidade de três sequências de três vitórias, com derrotas ou empates separando elas.

De toda forma, mesmo vencer três jogos seguidos nesta Série B do Campeonato Brasileiro é algo que o Cruzeiro não consegue há quatro meses na competição.