Num momento de tanta turbulência e más notícias, o zagueiro Léo aparece como uma “luz no fim do túnel” para a China Azul. Em entrevista coletiva na tarde de ontem, na Toca da Raposa II, o jogador foi o primeiro entre os mais experientes do grupo a oficializar sua permanência no Cruzeiro.

“Todo mundo sabe da situação do clube neste momento. Sou um cara que vive isso aqui intensamente, como jogador e como pessoa. Vivi neste clube um terço da minha vida. É um momento de dificuldade, mas permaneço. Tive uma conversa com a diretoria ontem (quinta-feira) e a completamos hoje (ontem). Quando assentei diante deles, retribuíram da forma como eu pensava”, afirmou Léo.

Torcedor celeste, o zagueiro deixou que isso pesasse na decisão. “Quero fazer parte da reconstrução do clube. Por respeito, por identificação e por amar o time, decidi ficar. Sei que serão grandes desafios e obstáculos, mas o Cruzeiro é grande, tem história, muitos títulos e vai sair dessa. Problemas vão acontecer durante o ano, mas posso me empenhar e me dedicar para devolver o clube à Série A”.

Uma das lideranças do plantel cruzeirense, e vendo vários companheiros deixando o clube, até mesmo com ações na Justiça do Trabalho, Léo disse que também recebeu propostas, porém optou pela permanência.

“Isso aconteceu em outros momentos também. Vamos precisar de todos e da paciência do torcedor. Sei da tristeza, mas vamos com união e paciência. O torcedor envolvido vai ajudar e será importante para a reconstrução do clube”, garantiu o camisa 3 celeste.

Ele não critica nenhum jogador que esteja deixando ou já tenha deixado a Toca II. “Muitos jogadores têm seus propósitos, seus princípios. Hoje, declaro os meus, de respeitar o clube, a instituição, e minha vontade é fazer com que o Cruzeiro se erga novamente, que seja o Cruzeirão Cabuloso. Não será fácil, mas com o empenho do dia a dia, temos grandes chances de fazer isso. Respeito todos os empresários, mas aqui meu relacionamento é direto”, disse.