Inserir Montes Claros no mapa de densidade de startups do Estado. Essa é uma das metas do Centro de Empreendedorismo e Inovação (CEI), área responsável por disseminar, incentivar e apoiar tecnicamente iniciativas empreendedoras de acadêmicos e egressos da Funorte, assim como do ecossistema local.

Um dos principais objetivos das Faculdades Integradas do Norte de Minas (Funorte), além de oferecer serviços educacionais de excelência, é formar cidadãos autônomos, conscientes e, principalmente, empreendedores. Além de metodologias como as disponibilizadas no Trabalho Discente Efetivo Sistemático (TDES), a instituição possui o Centro de Empreendedorismo e Inovação (CEI).

Formado em administração de empresas e com MBA em gestão empresarial, Bruno Garcia Antunes é o coordenador do setor. “A missão do Centro de Empreendedorismo e Inovação é inserir inovação nos processos de ensino, pesquisa e extensão da instituição, a partir da busca de novas metodologias, tecnologias e pensamento criativo”, afirma.

O coordenador diz que o objetivo macro do CEI é apoiar o ecossistema local de empreendedorismo e inovação e suas instituições para inserir Montes Claros no mapa de densidade de startups do Estado. “Como objetivos específicos podemos citar o aumento do índice de startups com relevância social e empresarial criadas por acadêmicos da instituição, o aumento do número de alunos interessados e capacitados para empreender no mundo digital, o ensino e disseminação de novas tecnologias e a formação de jovens protagonistas, autônomos e geradores de conhecimento”, diz.

Empreender no ambiente acadêmico
O CEI atua em quatro fases do processo empreendedor: inspiração, ideação, modelagem de negócios e operação. Algumas ações podem envolver mais de uma fase e outras necessitam de foco para contribuir de fato com o aluno empreendedor. “Em 2019 o CEI disponibilizou capacitações em conteúdos como Canvas do Modelo de Negócios e de Projetos, para alunos e professores, realizou o evento Trilha Startup e está capacitando supervisores da AeC Contact Center em ferramentas de Gestão da Qualidade. Além disso, criou a Liga de Automação e Internet das Coisas, primeira Liga de Tecnologia de toda plataforma Funorte, que irá inovar a forma de envolvimento da comunidade acadêmica com a apresentação de TCCs, entre outros projetos que serão desenvolvidos ao longo do ano”, explica Bruno.

Outro projeto desenvolvido pelo CEI é o E-book: “Como começar uma startup”. Segundo o administrador, a criação de Startups passou a ser institucionalizada com o projeto TCC Startup. “O e-book disponibiliza para nossos acadêmicos e comunidade em geral as melhores ferramentas para criação de Startups utilizadas no Vale do Silício. Nosso objetivo é nivelar o conhecimento que temos sobre o processo de criação de startups com aqueles que possuem as melhores técnicas do mundo nessa área e a partir daí termos embasamento para criarmos startups com maior potencial de virarem empresas sólidas”, pontua.

“O Empreendedorismo está no DNA da Funorte”, aponta Bruno, que ainda diz: “Precisamos de jovens protagonistas no nosso país. Que sejam inconformados com nossa desigualdade social e econômica e que usem isso como combustível para pensar e propor soluções inovadoras e sustentáveis para os nossos problemas. Se nossos acadêmicos definirem como seu objetivo de vida transformar a realidade onde estão inseridos, eles aumentarão (e muito) as suas chances de ter uma carreira de sucesso e o retorno financeiro que tanto desejam”.
 
PLANOS FUTUROS
Bruno explica que entre os projetos futuros do CEI está a criação da Rede Norte Mineira de Tecnologia em parceria com Universidades de Montes Claros, para potencializar a inserção de tecnologia e inovação no ensino, pesquisa e extensão. “Estamos modelando o maior evento de tecnologia da região, em parceria com instituições da cidade, que deve acontecer no primeiro semestre de 2020. No segundo semestre desse ano teremos o programa: “Acadêmicos do Mundo Real”, que irá discutir com bom humor o cotidiano de empresas, universitários, além de informar sobre tecnologia e inovação”, conclui.

SAIBA MAIS
Dicas para iniciar um novo negócio (E-book: Como começar uma Startup)
 
Ter uma Ideia: Existe um problema que te incomoda e você pensa em uma forma de solucioná-lo. Você pensa em uma forma de melhorar um processo, um serviço ou um produto e deseja lançá-lo no mercado.
 
Ter uma Inovação Tecnológica: Você desenvolveu algo e deseja patenteá-lo, capitalizá-lo ou apenas implementá-lo para gerar benefícios para a sociedade. 
 
Ter uma paixão: Você ainda não tem uma ideia ou inovação tecnológica, mas deseja empreender, trabalhar para si mesmo e controlar o próprio destino.