É só a temperatura cair um pouco que já bate aquela vontade de tomar um caldo. Quentinho então, nem se fala! Além de confortar, nutrir, é possível sentir o abraço de quem prepara. Pensando nisso, o Colégio Indyu realiza, nesta sexta-feira (25), um evento para aquecer a alma e o estômago, não só de quem participar, mas de pessoas que precisam de ajuda nesse momento.

O Drive Thru Solidário vai oferecer caldos deliciosos, preparados pela chef Dilma Pimentel, e a renda será revertida para o Projeto Doadoria, que assiste crianças e adolescentes com aulas de informática, artes, costura e karatê, além de organizar a entrega de sopa para moradores de rua.

“Um caldo solidário tem um plus: você sacia seu desejo de tomar um caldo bem feito e ainda contribui para uma causa nobre”, diz Dilma Pimentel.

O evento, que está em sua primeira edição, nasce com a promessa de ser anual e virar tradição na cidade. Essa foi a forma encontrada para dar suporte às ações do Doadoria e, assim, alimentar quem tem fome.

“Não estamos conseguindo doações suficientes para atender o mesmo número de pessoas em situação de rua que atendíamos antes da pandemia. A mesma quantidade de sopa não tem sido suficiente, porque a demanda aumentou”, revela a chef.
 
SABOR JUNINO
Durante o evento, a equipe vai preparar três tipos de caldos: de abóbora, de mandioca e canjiquinha, além de um vegetariano e doces juninos. “Vamos aquecer muitos corações e trazer o gosto das festas juninas para mais perto das pessoas”, afirma Dilma.

Com carnes e pimenta, como você prefere?
E para quem ama caldos, a chef falou um pouco sobre o preparo, desmitificando algumas questões, como o papel dos ossos na construção do sabor das sopas.

“Os ossos conferem um sabor único aos fundos, sopas e caldos, além de dar cor e nutrição. Os fundos com ossos servem de base para risotos, sopas, consumès, no entanto, os caldos brasileiros são de consistência muito densa e cremosa, diferente dos consumès europeus, que são bem ralos, fluidos, mais um caldinho fortificante. Portanto, os europeus têm mais a cultura de usar os ossos como base dos caldos, porque estes não têm muitos ingredientes como os nossos”.

Sobre preparar uma quantidade grande e depois congelar, ela conta que o melhor é sempre comer comida fresca. “Sob refrigeração, é seguro consumir em até três dias”, diz.
 
PICANTES
Há quem preferia caldos picantes. Dá para adicionar pedaços de gengibre fresco, talos de erva-cidreira, uma pequena pimenta. Segundo Dilma, os caldos permitem muitos ingredientes, ao gosto de quem vai consumir.

“Para acrescentar um ingrediente, é importante que você o conheça, ou seja, conheça a força daquela pimenta que se quer colocar. Não podemos jogar várias pimentas sem saber de sua potência, senão estragamos o prato. O ideal é adicionar aos poucos e ir experimentando, até obtermos o resultado desejado”, ensina.

Depois dessas dicas deliciosas, só nos resta uma visitinha à Tenda de Caldos, nesta sexta-feira, a partir das 18h, no Drive Thru Solidário do Colégio Indyu, na rua João Pinheiro, 186, Centro.

Caldo de Baroa
Ingredientes: 500g de mandioquinha descascada e picada
1 cebola pequena
3 dentes de alho
200g de creme de leite
Açafrão da terra, pimenta, água, azeite e sal a gosto
Proteína cozida e temperada (frango desfiado ou camarão – opcional)

Modo de Preparo: Refogue o alho, cebola, sal, pimenta e açafrão da terra em azeite.
Junte a mandioquinha picada, acrescentando água antes de cobrir a mandioquinha.
Depois de cozida, bata no liquidificador com o creme de leite.
Retorne à panela, corrija os temperos e acrescente a proteína, se desejar.
Sirva em bowls ou em pão italiano sem o miolo. O queijo é um opcional