Novo protocolo sanitário de retorno às aulas presenciais foi aprovado, na última sexta-feira (8), pelo Centro de Operações de Emergência de Saúde (Coes), da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

A 5ª versão permite 100% de ocupação da sala de aula, dos demais espaços de ensino e até mesmo do transporte escolar. Ou seja, com essa mudança, todos os alunos poderão voltar para o ensino presencial, sem necessidade de rodízio de turmas.

Até então, a capacidade permitida era de 50%. No entanto, as escolas ainda terão que manter o distanciamento de 0,9 metro entre os alunos. Também continuam valendo a determinação do uso de máscaras e as demais medidas de proteção permanecem como obrigatórias para instituições públicas e privadas.

O documento traz, ainda, novidades como a permissão para uso compartilhado de objetos eletrônicos e o fim da quarentena de livros para empréstimos em bibliotecas escolares, desde que respeitadas as orientações de higiene e proteção. As alterações já estão valendo. Cabe às redes de ensino promover as adequações necessárias para implementar as medidas.
 
CENÁRIO
De acordo com a coordenadora do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs-Minas), Eva Lídia Arcoverde, diversos fatores influenciaram a nova versão do protocolo mineiro.

“O cenário epidemioló-gico apresenta, hoje, alguns fatores importantes, como a vacinação dos trabalhadores da educação e da população em geral, a aplicação dos imunizantes em adolescentes de 12 a 17 anos, a redução da incidência de casos, óbitos e internações, inclusive com queda das taxas de ocupação de leitos”, enumera. 

“São aspectos que nos fazem ponderar sobre os benefícios de maior presença de alunos em ambiente escolar, tendo em vista os prejuízos psicossociais e cognitivos causados pela pandemia”, completa a coordenadora.

Outros pontos ressaltados por Eva Lídia Arcoverde são a segurança em relação à presença dos alunos e a incorporação de outras atividades à rotina escolar, como o empréstimo de livros. 

“Devido a novas evidências de que a transmissão por objetos é secundária, foi possível o retorno do uso normal de livros e dos empréstimos da biblioteca sem a necessidade de aguardar cinco dias para pegar outro volume. Objetos como computadores, tablets e eletrônicos poderão voltar a ser usados, mantendo as medidas de higiene e de proteção”, explica.

*Com Agência Minas