Os estudantes de escolas particulares em Montes Claros estão em fase decisiva para o retorno às aulas presenciais. A volta foi autorizada pelo município para acontecer a partir de 4 de março, mas os alunos e pais podem optar por manter o ensino remoto. 

Caberá a cada escola montar a estrutura adequada – determinada em decreto municipal – para receber os estudantes, professores e demais trabalhadores e, ao mesmo tempo, ter condições de oferecer o ensino a distância.

Estudante do 1º ano do ensino médio no Colégio Indyu, Maria Luiza Rocha admite que a insegurança é grande neste momento, mas optou, juntamente com os pais, a retornar para a sala de aula.

“Não dá para me sentir 100% segura em relação a toda a situação. Eu e meus pais optamos pela volta presencial baseados no momento em que se encontra o quadro da doença na cidade. Em relação ao Colégio Indyu, me sinto segura, pois a escola tem toda estrutura de higienização e está sendo preparada com todas as medidas para nos receber”, avalia.

Segundo a direção da escola, o retorno às aulas está previsto para o próximo dia 4, no modelo híbrido, com uma nova estrutura preparada com toda a segurança para receber os alunos que optaram pelo modo presencial.
 
MEDIDAS
Todos os colaboradores foram treinados para garantir o distanciamento social dos alunos, uso de máscara e toda estrutura de salas de aula preparada com distância mínima de 1,5 metro, necessária entre alunos e professores, com turmas reduzidas, conforme o decreto municipal.

O colégio possui salas amplas, com pia instalada nos corredores e ainda estrutura completa para o professor que optar pela aula remota feita do colégio. Os horários do recreio foram divididos em quatro tempos, de 15 minutos cada, para que não haja contato entre os alunos.

Além disso, a entrada dos estudantes no colégio foi dividida em horários por turma, com intervalo de 20 minutos entre cada uma delas, com desinfecção e medida de temperatura na portaria.

Durante as aulas, os professores não poderão ir ate a mesa do aluno e os horários foram unidos de forma que o profissional fique todo o tempo em determinada turma e não fique trocando de horário, evitando assim uma circulação entre salas de aula.

CONSCIÊNCIA DOS ALUNOS
De acordo com a diretora do Indyu, Gabriele Mourão, toda a estrutura necessária foi montada, mas é muito importante a responsabilidade por parte de cada aluno. “Entendemos que quando o pai vai enviar o aluno para a escola, ele confia em seu filho e é uma parceria entre a escola e a família. O aluno tem que ter a consciência em se cuidar para proteger a sua vida, da sua família e dos seus professores, sendo um aluno responsável”, explica.

“Acredito que o colégio está bem estruturado para receber as crianças e adolescentes. Nossa parte está sendo feita e não podemos julgar nem o aluno que resolveu vir para a escola nem aquele que resolveu ficar em casa. Entendemos também que há adolescentes passando por problemas por ficar nesse isolamento. Então, precisamos acolhê-los bem. E todos nossos alunos terão completa orientação tanto no presencial quanto no remoto com técnicas, embasamento, auxílio dos professores”, destaca.

 Aulas remotas em tempo real
De acordo com a supervisora do Colégio Indyu, Isabel Christina Rabelo, o colégio desenvolve um trabalho diferenciado que é acompanhar todas as aulas remotas em tempo real: tanto a frequência do aluno quanto a dinâmica das aulas.

“Acompanhamos a qualidade de todas as aulas remotas, que é o nosso maior objetivo. E no retorno das aulas presenciais, com relação ao ensino híbrido, iremos manter no mesmo formato, onde o professor irá ministrar a mesma aula em tempo real tanto para os que estiverem presencialmente quanto aos que estiverem em casa, com a mesma interação e engajamento. Nossos professores estarão atentos em atender de forma positiva a oferta de um ensino de qualidade para ambos. É um momento difícil, mas temos a certeza de que estamos preparados”, garante.