Estão de volta com força total os atendimentos gratuitos na área da saúde para moradores de vários bairros de Montes Claros por meio da “Ação Saúde Funorte/Fasi”. Interrompida durante a pandemia, a prestação de serviços tem uma agenda cheia neste mês.

No próximo domingo, a caravana da saúde desembarca no bairro Delfino Magalhães, levando atendimento gratuito em várias especialidades. O grupo é formado por acadêmicos e coordenadores dos cursos oferecidos pela Funorte e Fasi.

Já no dia 11, a ação chega ao bairro São José. Em todos os locais, o evento acontece nas feiras de bairros. Uma edição especial será realizada em 13 de novembro no bairro Independência, em comemoração ao Dia Mundial do Diabetes – o local ainda será divulgado.

Participam da ação os cursos de Estética e Cosmética, Fonoaudiologia, Farmácia, Enfermagem, Nutrição, Educação Física, Psicologia e Fisioterapia.

“Retornamos com essas ações, que já aconteciam antes da pandemia, e estaremos até o final do ano ofertando o serviço à população. Elas são destinadas a qualquer pessoa que esteja no local, não precisa necessariamente residir no bairro em que o evento esteja acontecendo”, explica o coordenador de Extensão da Funorte, Walter Moura.
 
PAPEL SOCIAL
Ele conta que são oferecidos vários serviços, de distintas áreas, e os supervisores participam todo o tempo, dando suporte aos acadêmicos. “O principal ganho é o papel social dessa atividade. Todos são beneficiados. Os alunos, porque colocam em prática o que aprendem, se aproximando da comunidade; e o povo, que tem a oportunidade de estar atento e ter maior controle sobre a saúde”, afirma Moura.

Bruna Lima não pôde participar da ação realizada, no último domingo, no bairro Major Prates, mas já alimenta a expectativa para a próxima edição.

“É uma feliz coincidência, pois domingo é um dia que vamos à casa da minha sogra, que mora no bairro da próxima ação. Vou aproveitar para conferir a saúde. Nunca é demais”, diz.

Segundo a reitora da Funorte, Raquel Muniz, a retomada acontece em um momento em que já existe mais segurança para o encontro de pessoas seguindo os protocolos sanitários. 

“Mas, sobretudo, vem de encontro a uma demanda da sociedade, que se encontra mais fragilizada e precisa de cuidados e de atenção. Por meio dos nossos cursos, da competência dos nossos acadêmicos, a Ação Saúde leva esse suporte à população”, diz Raquel.
 
SUCESSO
Coordenadora do curso de Estética e Cosmética da Funorte, Mariella Miranda Evangelista conta que apenas nesse setor foram atendidas 80 pessoas. “Gosto desse movimento. Sinto que, além do tratamento estético, a gente colhe histórias incríveis dos moradores. Eles se sentem acolhidos. Para alguns, aquele é o único carinho que recebem”, conta.

O curso de Farmácia, que registrou um número alto de atendimentos durante a feira, focou no uso racional de medicamentos. A automedicação é um problema que foi potencializado durante a pandemia, de acordo com Janine Kátia Santos, farmacêutica e coordenadora do curso na Fasi/Funorte. 

“Antidepressivos, ansiolíticos e remédios para tratamentos antigripais são de controle especial e houve muita procura para a orientação farmacêutica, que é imprescindível na adesão do paciente ao tratamento medicamentoso.  O êxito de uma terapia não se assegura apenas por uma prescrição, mesmo quando fundamentada e bem elaborada. É preciso considerar também aspectos relativos à doença, ao doente e ao medicamento”, explica.