Quatro alunos do colégio Indyu se classificaram para a segunda fase da Olimpíada Nacional de Ciências (ONC), que acontece anualmente. Ela é voltada a estudantes do ensino médio e do 6º ao 9º anos do ensino fundamental. 

De acordo com Cristiano Nogueira, professor de Ciências e Biologia do Colégio Indyu, a ideia de os alunos participarem da ONC partiu do fato do despertar que a olimpíada gera no estudante. “Entendemos que essa participação vai despertar para a riqueza pela busca do conhecimento e como ele é integrado e transformador. Ao todo, foram nove inscritos e quatro classificados, sendo um projeto inicial com pouco tempo de divulgação na escola, foi suficiente para a obtenção de resultados positivos”, explica o professor.

Cristiano ressalta a grande importância de as escolas incentivarem os alunos a participarem desse tipo de ação. “Todos foram parabenizados pela iniciativa de fazer a inscrição. Ver alguns estudantes avançando etapas só reforça a importância da adesão da escola à Olimpíada Nacional de Ciências, pois oportuniza aos estudantes desenvolver seu potencial e aspirar novos caminhos de sucesso”, avalia Cristiano.

A ONC 2021 integra o Programa Ciência na Escola e é uma realização de cinco sociedades científicas: a Sociedade Brasileira de Física (SBF) a Associação Brasileira de Química (ABQ) o Instituto Butantan, a Sociedade Astronômica Brasileira e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), por meio de um convite do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

“A minha professora de português motivou a mim e a todos os meus colegas a participar da ONC, e como eu tenho uma certa sede de conhecimento, logo depois da aula fui pesquisar sobre a olimpíada e acabei me inscrevendo”, conta João Gabriel Rabelo Ruas, do 8° ano do ensino fundamental.

A professora apresentou como benefícios da participação no concurso, segundo João Gabriel, a ampliação dos conhecimentos, melhorar as formas de estudo, a concentração e mostrar a capacidade de cada um.

“Eu não esperava ir muito longe devido a nunca ter participado de nenhuma prova de tal nível de importância. Comecei a ter ansiedade e acabei até pensando em desistir, mas persisti. Hoje estou muito feliz e pretendo participar novamente, tanto da Olimpíada de Ciências quanto a de Matemática. Espero que todos os talentos do Indyu participem também”, diz João Gabriel.

Aluna já se garante na edição do próximo ano
“Foi uma ideia incrível da escola a nossa participação nas olimpíadas. Fomos motivados pela direção. Logo no início me interessou. Meu pai também foi um grande incentivador”, conta Lavínia Freitas Borges, do 7º ano do ensino fundamental do Indyu.

A aluna diz que achou as questões um pouco difíceis. “Mas, usando a lógica, respondi a todas elas, lendo e relendo várias vezes até responder. Por fim, deu tudo certo e estou na segunda fase”, comemora. E já adianta: “no próximo ano, com certeza, irei me preparar e participar de novo”.
 
CLASSIFICAÇÃO
Foram classificados Lavínia Freitas Borges (7º ano); Wander Emanuel de Souza Mendes (7° ano); João Gabriel Rabelo Ruas (8° ano) e Caio Henrique Alves (1° ano do ensino médio).

O evento é gratuito, on-line e concederá medalhas até o limite percentual de 5% dos estudantes participantes da segunda fase, divididas em três categorias: ouro, prata, bronze.