Uma maratona de autoconhecimento, em 21 passos, que convida o leitor a experimentar um profundo processo de autorreflexão, de forma interativa, dinâmica e poética. Essa é a definição para “No passo do coração – Um caminho na busca de si mesmo”, da escritora mineira Kellen Castro.

O objetivo da obra é ajudar as pessoas que buscam se reencontrar no mundo, assumindo uma vida mais autêntica, livre e feliz, seguindo o coração. A escritora trabalha um tema de transformação pessoal por capítulo, indica atividades que estimulam o desenvolvimento interno e apresenta sugestões para que as ideias trabalhadas sejam colocadas em prática, no tempo de cada um.

“O caminho é percorrido permeando a minha história pessoal. E, através de memórias e poesias, compartilho meus processos internos e convido o leitor a se conectar com suas emoções. As poesias podem ser ouvidas na minha voz, através de um recurso digital disponibilizado no livro”, conta Kellen.

“No passo do coração – Um caminho na busca de si mesmo” é um guia para que o leitor reflita, mude o que precisa ser modificado e encontre o seu tão esperado lugar no mundo. Confira nosso bate-papo com a escritora.
 
Como foi sua relação com a leitura durante a infância?
Cada livro era uma oportunidade de viajar pela minha imaginação e amava isso. A partir das histórias dos livros, inventava minhas próprias histórias e fazia delas peças de teatro, que era minha brincadeira preferida. Gostava de ler, mas sempre gostei muito de escrever. Lembro do dia que escrevi meu primeiro livrinho: “O roubo da caneta-lápis mágico” (tenho ele guardado até hoje). Eu tinha uns 8 ou 9 anos e estava em Montes Claros, de férias, na casa da minha avó. Jamais imaginaria que aquele dia fosse tão representativo para minha vida e que as palavras se transformariam em um combustível impulsionador dos meus sonhos.
 
O livro foi escrito no período de isolamento social causado pela Covid-19?
Parte do livro sim. Comecei a idealizá-lo em abril de 2019. Naquele momento, tive uma ideia diferente e não sabia muito bem se iria funcionar: usar poesia, com reflexão, propostas de ação e histórias. Nesse período, entrei em um grupo de escritores de uma grande editora, a primeira turma do grupo Bastidores de um Best-seller. Dentro do grupo houve um concurso valendo a leitura crítica do livro. Foi então que o roteiro desse livro ganhou em primeiro lugar. No meu coração era um grande sinal de que eu estava no caminho certo e deveria continuar o meu projeto. Mais ou menos na metade da escrita do livro me deparei com a pandemia. Certamente esse momento de transformação coletiva fez parte da minha escrita e me fez refletir e pensar ainda mais sobre a nossa vulnerabilidade e o que realmente é essencial e importante na nossa vida. Quantas coisas pareciam importantes e esvaziaram-se nesse período? Fomos obrigados a desacelerar e recolher. O comum e habitual tornou-se significativamente valioso e olhar para a vida foi quase um ato intuitivo. Um momento que nos fez questionar nossa vida e nossas prioridades. Nesse período percebi a importância de encontrarmos a força para não deixarmos o caos do mundo paralisar a nossa vida e apagar a nossa luz. Entendi que temos tudo que precisamos dentro de nós e que é possível encontrar a chama que traz brilho para nossa vida e impulsiona nossas ações. Que apesar de nos depararmos com situações que não estão no nosso controle, podemos agir com o que temos, encontrar novas alternativas e soluções, e que é possível descobrir uma forma mais positiva de enfrentarmos os desafios da vida. Que se conectar com o coração é imprimir significado em cada passo dado, é fazer escolhas alinhadas com nossos valores e propósitos e que esse caminho nos conecta com a nossa essência e com o melhor que temos.
 
Para você o que está sendo possível aprender com a pandemia?
Revi a minha vida, minhas prioridades, meu caminho. Acalmei meu coração e aprendi a viver um dia de cada vez. Apesar do caos fora, não deixei esse caos chegar dentro de mim. Fui encontrando uma nova rotina e formas de exercer meu trabalho com alegria e criatividade. Vejo a pandemia como uma oportunidade de olharmos para a nossa vida e ampliarmos a percepção sobre nós mesmos e sobre o que realmente importa para nós, de resgatarmos nossa humanidade, nossas relações, valorizar o essencial para encontrarmos um equilíbrio interior.
 
Como está sendo o lançamento do livro e, especificamente, em Montes Claros?
Comecei o lançamento do livro em Belo Horizonte, fazendo um movimento muito especial através das minhas redes sociais, com convidados e parceiros, através de eventos on-line. Em Montes Claros o lançamento tem sido incrível e tive a oportunidade de participar de diversos veículos de comunicação para divulgar meu trabalho. E contei também com o apoio especial da minha família e do meu tio Wagner.
 
Como adquirir o livro?
O livro está em pré-venda e nesse período é possível adquiri-lo autografado através do meu Instagram @minutok. Na descrição do meu perfil há um link que irá direcioná-lo para o site de compra. Ou então você pode procurar pelo endereço eletrônico: https://kellencastro.com.br/livro/.