O artista plástico norte-mineiro Vinicius Ribeiro busca, por meio de desenhos de carrancas, valorizar o patrimônio cultural de Pirapora, que se mantém viva pelas mãos dos mestres carranqueiros. A arte representa um imaginário ribeirinho que expressa o desejo de proteção de forma poética, seja da proteção do patrimônio, da cultura, do rio e da memória de um povo.

Os trabalhos do artista podem ser vistos em uma mostra virtual, composta por 15 obras divididas em séries de desenhos. A série “Figuras de Proa” representa as carrancas como ser e objeto. Nas obras “Arautos I e II”, o artista trabalha uma espécie de metamorfose da face do povo ribeirinho e as feições de carranca, como um arauto do rio. Na série “Partida”, os desenhos entrelaçam a mitologia das carrancas e sua relação com o rio, narrando uma história de desaguar.

“Esta mostra foi realizada com o apoio da Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural – Lei Federal nº 14.017, como contrapartida para uma ação da Prefeitura de Pirapora. A lei dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública”, diz Vinicius.

São carrancas, figuras de proa, que, segundo o artista, têm como função proteger embarcações que navegam nas águas do rio São Francisco. 

“Essas figuras sempre se fizeram presentes no meu entorno, pelo fato de viver em uma cidade ribeirinha desde minha infância. A exposição ‘Figura de Proa’ surge a partir daí”, conta.
 
LINHAS TURVAS
A técnica utilizada neste trabalho é o desenho gestual e a ilustração digital, cuja característica principal é a imaterialidade e as linhas turvas que dialogam com a fluidez das águas de um rio e a memória do povo barranqueiro presente nas obras.

Enquanto a vacina não chega para todos, os dias de isolamento do artista em sua cidade natal têm sido de muito trabalho e de aprimoramento artístico. 

“No contexto atual de pandemia, percebo que a cena cultural tem atuado de forma bastante reduzida. Diversos artistas locais vêm se articulando para dialogar melhor com seus públicos através da internet, o que se tornou uma boa saída para o atual momento de isolamento”, avalia.

O artista também expôs trabalhos nas exposições coletivas “Uma cor, uma época, uma causa” e “Catopé Contemporâneo” em 2017, no Museu Regional do Norte de Minas (MRNM), além de ter participado de outras mostras virtuais.

A exposição virtual “Figura de Proa” pode ser visitada pelo link http://emaze.me/figuradeproa/. Você também pode acompanhar pelo Facebook ou no Instagram: vini.r.s.artwork.