Apesar da pandemia da Covid-19, as atividades cinematográficas não foram de todo interrompidas. A Artimanha Filmes, produtora sediada em Montes Claros e que tem sempre a participação de talentos do Norte de Minas nas suas produções, está em fase de pré-produção de mais um filme.

Dessa vez, o protagonista será o ator Aldo Pereira, que interpretará um faxineiro que, de forma inusitada, se torna o presidente de um gigantesco conglomerado de empresas.

O tema central da trama é o preconceito nas suas diversas manifestações. O roteiro procura valorizar a arte popular, a estética armorial e a beleza das coisas simples em detrimento daquilo que pode ser comprado. 

O título do filme é “O Homem Mais Feliz” e tem roteiro e direção de João Jorge Almeida. As locações serão em cidades históricas, como Tiradentes, Itabirito e também na capital mineira.

“O elenco principal será composto de artistas do Norte de Minas, mesclado com atores e atrizes de Belo Horizonte, proporcionando uma interação boa, que poderá promover a divulgação do trabalho de nossos artistas para outros públicos aos quais não teríamos acesso antes”, diz o diretor João Jorge.

“O Homem Mais Feliz” tem elementos de comédia, mas, sobretudo, propõe uma profunda reflexão sobre o preconceito, a intolerância e as consequências desses atos reprováveis bastante comuns na sociedade.

Aldo diz que será uma honra viver mais um personagem criado pelo diretor João Jorge. “O primeiro foi em ‘Gente Igual a Você’, sob direção de Diego Dutra. Neste, foi somente uma cena, mas foi com o renomado ator Anselmo Vasconcelos”, diz.
 
SOBRE ALDO PEREIRA
Aldo nasceu em Monte Azul, Norte de Minas. Chegou a Montes Claros em 1980. Começou no teatro em 1976, mas o desejo de ser ator se iniciou aos 12 anos, em 1970, quando viu televisão pela primeira vez, em Ceilândia Norte, no Distrito Federal. Via os seriados (ainda em preto e branco) e dizia para os pais que queria ser como aqueles homens que apareciam na televisão.
 
OFICINATO
Aldo é o idealizador do Curso de Atores Oficinato, que existe em Montes Claros desde 1988. Ao longo desses anos, milhares de crianças, adolescentes e adultos passaram pelo método, realizando o sonho de atuar como ator/atriz, ou simplesmente para combater o bloqueio psicológico.

“Neste ano, completo 45 anos de experiência nas funções de ator, diretor, produtor e professor de artes cênicas”, afirma orgulhoso.

Para Aldo, o maior desafio nessa pandemia foi conseguir viver sem poder fazer o que mais ama, que é ensinar, dirigir e fazer acontecer os espetáculos, muitos deles, com grande público.
 
ATUAÇÃO
Aldo já atuou em diversos espetáculos, mas diz que seu maior desafio foi viver “Tonho”, no espetáculo “Dois Perdidos numa Noite Suja”, onde somente dois atores dão vida aos personagens de Plínio Marcos. “Eu e um aluno meu atuamos na versão original (sem cortes). São 600 falas para cada ator”, conta.
 
AMIZADE 
Quem conhece Aldo de perto sabe que nutre uma amizade especial com o ator, produtor, cantor, compositor e diretor norte-mineiro Jackson Antunes. 

“Quando minha família voltou do Distrito Federal para Minas Gerais, fomos morar em Janaúba. Lá, conheci um menino de 13 anos que engraxava sapatos na praça Dr. Rocket. Eu tinha 16 anos e vendia frutas para ajudar a minha família. O menino engraxate era meu freguês e virou meu amigo e compadre. O nome do menino era Joaquim. Hoje, aquele menino se transformou em Jackson Antunes, o grande astro de TV e cinema brasileiro”, lembra.

Para conhecer mais sobre o trabalho de Aldo Pereira, basta segui-lo nas redes sociais.

@aldopereiraoficinato
Facebook: Aldo Pereira
WhatsApp: 99170-8427
E-mail: aldoppereira12@gmail.com