Fundado em 2015, o Coral Rotariano já faz sucesso até fora de Minas Gerais. Os 20 integrantes acabam de voltar de uma viagem ao Rio de Janeiro. No estado fluminense, se apresentaram em Conservatória, distrito de Valença conhecido como a “capital da serenata”.

O coral é coordenado pela professora do curso de Artes/ Música Maristela Cardoso. É composto por rotarianos e cantores da comunidade.

Durante a viagem para o Rio de Janeiro, o grupo fez intervenções musicais nos pontos de parada e em monumentos históricos de cidades como Barra do Piraí (RJ).

No repertório erudito, estão canções brasileiras como Uirapuru e Sapo na Lagoa e populares (MPB), sambas e marchas (“Ô Abre Alas”, “Cidade Maravilhosa”) e serestas que ajudam a divulgar as produções de autores de Montes Claros, como “Luar do Sertão” e “Amo-te Muito”, dentre outras.

“Há alguns arranjos que são nossos, com paisagens sonoras de instrumentos, objetos aleatórios e efeitos vocais. A música é uma forma de empreender a prática da arte e cultura musical. Promove a paz e o bem-estar geral”, reforça Maristela, ao destacar a associação do projeto com os “objetivos relevantes” do Rotary Internacional.

Sobre a viagem, a maestrina destaca que Conservatória “respira música”.

“Conservatória é considerada a capital mundial da serenata. Imaginei que seria interessante e proveitoso executar por lá intervenção musical com o Coral Rotariano. Para entrar no clima das intervenções, as realizamos durante o trajeto, nas paradas para lanche. Lá chegando, fomos muito bem acolhidos e convidados para participar da programação oficial da cidade. Uma troca fantástica!”, diz a maestrina.