Em um ambiente com número reduzido de pessoas devido à pandemia, a Academia Feminina de Letras de Montes Claros (AFLMC) celebrou o desfecho do ano acadêmico com momentos festivos, reunindo nomes conhecidos da literatura local. 

“Culminamos nossas atividades pendentes devido ao isolamento social, que nos impediu de certa forma a realização das mesmas. Homenageamos o vencedor do Concurso de Trovas, Dário Cotrim, lançamos a nossa Antologia “Elas por Elas” e fomos até a residência da confreira Glorinha Mameluque, a quem homenageamos pela sua contribuição na cultura norte-mineira, entregando-lhe a placa Yvonne Silveira”, diz a presidente, Terezinha Campos.

A entrega do troféu e o diploma ao poeta/escritor Dário Teixeira Cotrim, vencedor do I Concurso de Trovas da Academia Feminina de Letras de Montes Claros, aconteceu na sede do Instituto Histórico e Geográfico, localizado no Corredor Cultural. 
 
CONFRADES
Foi uma reunião simples, em virtude da pandemia, mas muito animada pela realização do evento em que o vencedor recebeu o carinho e o reconhecimento de seus confrades das letras e da história. 

Dário Teixeira Cotrim agradeceu e externou a todos os presentes a sua alegria por mais uma conquista em concurso de trovas. A trova vencedora, com o tema “Esperança”, é a seguinte: O Vento que veio um dia/E trouxe tanta lembrança/É o mesmo – que ironia/Levou-me a doce esperança! 

Disse-nos, na oportunidade, que ele foi o vencedor do I Concurso Internacional de Sonetos “Sebastião Benfica Milagre”, versão 2005, da Academia Divinopolitana de Letras, de Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, dentre outros certames literários. 

“A AFL veio trazer o troféu para minha pessoa. Fiquei classificado em primeiro lugar no Concurso de Trovas dessa academia e estou muito feliz e quero compartilhar essa alegria com todos os associados do Instituto Histórico e Geográfico”. 

Um dos incentivadores do concurso de trovas foi o presidente da União Brasileira de Trovadores (UBT) em Minas Gerais, Arlindo Tadeu Hagen, responsável pela nomeação da atual delegada da UBT- Delegacia de Montes Claros.

“Espero, de coração, que depois deste concurso municipal, Montes Claros se incorpore à geografia da trova mineira e nacional. Para isso, conto com o apoio da delegada da UBT, Terezinha Campos”, conta.
 
ELAS POR ELAS
Na oportunidade, foi lançada pela Academia Feminina de Letras a Antologia “Elas por Elas”, uma coletânea de textos escritos pelas acadêmicas da referida academia em homenagem a escritoras brasileiras.

“São mulheres que nos inspiraram e nos inspiram em nossa trajetória literária, assim como celebramos Clarice Lispector no ano de seu centenário de nascimento. É uma antologia digna de nosso apreço e deve ser lida por todos e pelas mulheres em especial, para entendermos uma vez mais o valor da escrita e da leitura para a libertação feminina”, diz Terezinha.

PLACA YVONNE SILVEIRA 
Do Instituto Histórico e Geográfico, o grupo seguiu para a residência da presidente da Academia Montes-clarense de Letras (AML), Glorinha Mameluque, que emocionada agradeceu a homenagem. “Este ano, para minha surpresa, fui escolhida para receber a placa Yvonne Silveira que a Academia Feminina de Letras de Montes Claros concede a cada ano a uma mulher por sua contribuição à cultura de Montes Claros. É uma grande honra”, diz.